Siga-nos

OiCanadá

O ministro da imigração Ahmed Hussen anuncia as comunidades selecionadas para o piloto

Vistos e Imigração

Conheça as 11 cidades-alvo do novo programa de imigração canadense

Um novo programa piloto de imigração voltado para 11 áreas específicas do país incentiva interessados a entrarem em contato com empregadores para conquistar a residência permanente. Veja como funciona e confira ainda um perfil das localidades.

Baseado no sistema recentemente implementado na região conhecida como Atlantic Canada, o novo programa federal Rural and Northern Immigration Pilot quer atender empresas que estão à procura de mão de obra qualificada. Nesse sentido, há a possibilidade de um empregador localizar um candidato em potencial e dar o pontapé inicial no processo, mas também há espaço para para que um profissional encontre uma vaga em aberto e entre em contato com o contratante para que a empresa dispare assim o processo de imigração.

Após obter a aprovação da empresa e da cidade, é hora, então, de o candidato enviar sua papelada para o governo federal, que é quem tem a última palavra em relação à emissão ou não da residência permanente. Mas há mesmo uma grande vantagem aqui porque o imigrante já chega com trabalho e renda garantidos e terá ainda uma comunidade menor e muito mais empenhada em apoiar a transição.

O governo espera começar a liberar convites para que os candidatos enviem a documentação já em outubro ou novembro deste ano com o objetivo de ter as pessoas já instaladas em 2020.

Conheça um pouco do perfil das 11 cidades escolhidas para esta nova modalidade de imigração:

  • Thunder Bay, Ontário
    • População: 120 mil habitantes no censo de 2016.
    • Economia: mineração, educação, transportes, extração e processamento de madeira. Crescente abertura de postos na área de TI.
    • Educação: Lakehead University que tem inclusive cursos de medicina e direito.
    • Voos: diretos para Toronto e Winnipeg, de carro para Toronto são quase 1400 km.
    • Preço médio de casa: $244,000.
  • Sault Ste. Marie, Ontário
    • População: 80 mil no censo de 2016.
    • Economia: uma grande metalúrgica, painéis fotovoltaicos, reciclagem de pneus, manutenção de aviões, usina de energia eólica, vários centros de pesquisa científica e o braço de loterias da Canadian Bank Note Company, a companhia que imprime o dinheiro canadense.
    • Educação: Algoma University, uma pequena instituição que não oferece mestrado nem doutorado mas que, por ter uma relação de 14 alunos por professor, produz excelentes oportunidades para quem tem interesse em trabalhar como assistente em pesquisa e ter seu nome em artigos publicados.
    • Conexão: voos diretos diários para Toronto e Winnipeg, de carro para Toronto são 701 km.
    • Preço médio de casa: $170,000.
  • Sudbury, Ontário
    • População: 88 mil no censo de 2016 – 155 mil para a região metropolitana.
    • Economia: mineração, finanças, saúde, educação, pesquisa e tecnologia.
    • Educação: a Laurentian University é bilíngue e oferece mais de 800 programas, inclusive medicina, arquitetura e seu ponto forte, que é mineração.
    • Conexão: voos diretos diários para Toronto, de carro são 403 km.
    • Destaque extra: a presença do Science North, um museu de ciências com exibições de nível internacional.
    • Preço médio de casa: $240,000
  • Timmins, Ontário
    • População 41 mil no censo de 2016 com forte presença francófona.
    • Economia: mineração, indústria, saúde, aeroespacial.
    • Educação: uma universidade em francês, a Hearst, mas com poucas opções de cursos concentrados na área de Humanas.
    • Conexão: voos diretos para Toronto, a distância de carro é de 706 km.
    • Preço médio de casa: $196,000
  • North Bay, Ontário
    • População: 51 mil no censo de 2016.
    • Economia: TI, saúde, educação e mineração.
    • Educação: a Nipissing University, com forte tradição no preparo de professores.
    • Conexão: voos diretos para Toronto; de carro são 360 km.
    • Preço médio de casa: $250,000.
  • Gretna-Rhineland-Altona-Plum Coulee, Manitoba – Em 2013, o governo de Manitoba decidiu que cidades vizinhas e com menos de mil habitantes deveriam ser unificadas em termos de administração, e é por isso que vemos aqui o nome de várias pequenas comunidades como se fossem um só destino: Rhineland, Plum Coulee, Altona e também Gretna (ou RPGA).
    • População; um total de 6 mil habitantes.
    • Economia: predomínio da agricultura (cereais, girassol, soja) e de serviços complementares a esta indústria.
    • Educação: Não há universidades.
    • Conexão: Cerca de 130 km ao sul da capital da província, Winnipeg, bem na fronteira com o estado da Dakota do Norte, dos EUA.
    • Preço médio de casa: $250,000.
    • Destaque: a forte presença e influência de menonitas, um grupo de protestantes que falavam holandês, mas que vinha da Rússia.
  • Brandon, Manitoba
    • População: é a segunda maior cidade da província e, segundo o censo de 2016, tem 48 mil habitantes.
    • Economia: unidades industriais relacionadas à agricultura, como fabricação de fertilizantes, processamento de agroprodutos, confecção de unidades para transporte de grãos etc.
    • Educação: a Brandon University oferece cursos de graduação na área de enfermagem, pedagogia, ciências ambientais, música e administração de empresas dentre outros cursos, além de opções de mestrado.
    • Conexão: voos diários para Calgary, Alberta. Fica a 214 km de Winnipeg, capital da província.
    • Preço médio de casa: $275,000
  • Moose Jaw, Sask
    • População: 36 mil pessoas no censo de 2016.
    • Economia: abriga o principal centro de treinamento de pilotos das Forças Aéreas canadenses e também o esquadrão acrobático do país, apelidado de “Snowbirds”. Fora isso, é o processamento de agroprodutos aliado à produção de fertilizantes e outros itens para a agricultura.
    • Educação: o destaque em educação é uma escola politécnica tipo “college” altamente relacionada à demanda das empresas que atuam na região.
    • Conexão: a uma hora de carro de Regina, capital da província.
    • Preço médio de casa: $240,000
  • Claresholm, Alberta
    • População: 3.400 pessoas no censo de 2016.
    • Economia: a produção de gado de corte é a principal atividade da região, com a presença de algumas empresas especializadas no processamento de alimentos. Mas o forte mesmo desta comunidade é a prestação de serviços, com destaque para o setor de saúde.
    • Educação: não há colleges nem universidades na cidade. As instituições mais próximas ficam a 80 km, no município de Lethbridge.
    • Conexão: O aeroporto mais próximo fica em Lethbridge, onde é possível pegar voos diários — com 50 minutos de duração –, para Calgary. Outra opção é percorrer os 125 km de estrada que separam Claresholm de Calgary.
    • Preço médio de casa: $195,000.
  • West Kootenay, British Columbia
    • População: West Kootenay não é uma cidade, mas uma região montanhosa e muito bonita do sudoeste da província. Ela engloba 20 comunidades distintas — Balfour, Boswell, Castlegar, Christina Lake ,Crawford Bay, Creston, Grand Forks, Gray Creek, Greenwood, Kaslo, Kootenay Bay, Nakusp, Nelson, New Denver, Riondel, Rossland, Salmo, Silverton, Slocan e Trail. A maior cidade da lista é Nelson, com pouco mais de 10 mil habitantes no censo de 2016.
    • Economia: a área é forte na plantação de frutas e também tem o turismo como propulsor econômico.
    • Educação: a Universidade de British Columbia tem um curso de pedagogia especializada em pequenas comunidades em Nelson. Há ainda o Selkirk College, com unidades em 8 cidades da região.
    • Conexão: o aeroporto em Castlegar tem voos diários para Vancouver e Calgary. O de Trail oferece ligações também diárias, mas só com Vancouver. Outra opção é a cidade de Spokane, nos Estados Unidos, que fica a 250 km de Nelson com serviços de shuttle cobrindo a distância. Nelson fica a 286 km de Calgary e 661 km de Vancouver.
    • Preço médio de casa: $350,000 em Nelson.
  • Vernon, British Columbia
    • População: censo de 2016, 40 mil habitantes.
    • Economia: turismo e agricultura.
    • Educação: em Kelowna (a apenas 50 km de Vernon) é possível estudar no campus de Okanagan da Universidade de British Columbia. Há também o Okanagan College, com várias unidades na região, inclusive na própria Vernon.
    • Conexão: Vernon fica a 440 km de Vancouver e sua melhor opção de aeroporto se encontra em Kelowna (cerca de 200 mil habitantes) onde é possível pegar voos diários diretos para Vancouver, Calgary, Edmonton, Toronto e Seattle (EUA).
    • Preço médio de casa: $400,000

Para mais informações, visite o site oficial do Rural and Northern Immigration Pilot.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Junior

    30/jul/2019 at 15:45

    Boa tarde meu nome e Júnior eu gostaria de morar no canada essas ideias sao muito boas gostei estao de parabéns obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Vistos e Imigração

Receba as novidades do blog por email

Digite seus dados abaixo para assinar nosso boletim e receber todas as novidades do blog em sua caixa postal. É de graça e você pode se descadastrar a qualquer momento.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
Topo