Siga-nos

OiCanadá

Vistos e Imigração

Governo flexibiliza regras para atrair mais residentes permanentes

Com a economia do Canadá em ritmo acelerado e uma aguda falta de mão-de-obra qualificada para preencher as vagas em aberto, o Ministério da Imigração correu para apresentar novas medidas para agilizar os processos e facilitar as contratações. Veja aqui cada um dos pontos modificados e quando eles entram em vigor.

A partir de julho, o governo federal vai acabar com a pausa temporária que havia colocado em cima dos chamados express entry draws, o que significa, na prática, a retomada do processamento das candidaturas apresentadas através dos programas Federal Skilled Worker, Skilled Trades e Canadian Experience e até mesmo parte do programa de nomeação provincial. 

Retomada de ritmo

A pausa surgiu durante o pico da pandemia por conta de todas aquelas restrições de viagem, mas agora o governo promete fazer um mutirão de retomada e processar os casos dentro do prazo de seis meses, o que é considerado o padrão em tempos normais.

Além disso, no mesmo mês de julho o governo voltará a receber candidaturas novas à residência permanente. E quem aplicar já estando no país, vai deixar de precisar continuar por aqui até toda a papelada ser processada.

Permissão de trabalho

Candidatos que peçam uma permissão para trabalho enquanto aguardam a análise de sua residência permanente vão também poder receber um documento que libera trabalhar até o final de 2024. Outra facilidade é que membros diretos da família que estejam listados num pacote de candidatura poderão receber uma permissão de trabalho em aberto em separado, garantindo assim uma renda melhor para o grupo.

Estudantes internacionais

A partir de junho, quem já tiver terminado seus estudos e estiver com a permissão de trabalho expirando entre 31 de janeiro e 31 de dezembro deste ano vai poder pedir uma extensão de até 18 meses.

Visitantes

Uma política temporária que abriu a possibilidade de um visitante pedir uma permissão de trabalho fechada (uma licença para trabalhar para um só empregador) também foi ampliada até o final de fevereiro do ano que vem. 

Trabalhadores temporários

As medidas acima vêm complementar outras decisões tomadas menos de um mês antes e que aumentaram as possibilidades de trabalhadores estrangeiros temporários. Para a faixa de menor renda, por exemplo, os empregadores passam agora a poder ter até 20% da mão-de-obra contratada dessa maneira, contra os 10% antes permitidos. E em setores-chave — como alimentação/restaurantes, hospitais, enfermagem e cuidadores que atendem em casa — a margem vai ainda além, contabilizando até 30% do total de empregados.

Fernanda é carioca, publicitária, co-fundadora e editora-chefe do OiCanadá. Imigrou para o Canadá no final de 2006 e se tornou cidadã canadense em 2011.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Vistos e Imigração

Topo