Siga-nos

OiCanadá

Estádio Olímpico

Turismo

O que Montreal tem a oferecer?

Quando alguém lhe pergunta “o que há de turístico em Montreal?”, talvez não seja tão fácil ter uma resposta pronta. Você poderia citar, por exemplo, o Grande Prêmio de Fórmula 1, o Cassino de Montreal, o Jardim Botânico (um dos mais conceituados no mundo) e o Parque Olímpico, onde foram organizados os jogos olímpicos de 1976. Vejamos, então, o que mais Montreal tem a oferecer.

Considerada a capital cultural do Canadá, Montreal tem um perfil único. Muitos dizem que é a soma de Nova York e Paris em uma cidade de tamanho médio, o que significa que você tem gastronomia de alto nível, arquitetura histórica e, ao mesmo tempo, a modernidade norte-americana—mas em um lugar com menos pessoas e mais tranquilidade. Você percebe que a cidade é especial não apenas com os ouvidos, já que Montreal é a segunda maior cidade francófona do mundo, mas também com os olhos: a paisagem da cidade cria um ambiente que vive no passado clássico e no presente moderno. Se você iniciar uma caminhada em frente ao Museu de Belas Artes e ir em sentido norte, verá uma mudança drástica no estilo dos prédios ao seu redor.

Ponte Jacques Cartier liga a ilha de Montreal ao continente e a atrações como o autódromo de Fórmula 1

Ponte Jacques Cartier liga a ilha de Montreal ao continente e a atrações como o autódromo de Fórmula 1

O Parque de Mont-Royal, desenhado pelo mesmo arquiteto que projetou o Central Park, é certamente um destino obrigatório, e talvez seja um ótimo lugar para começar a sua visita. Situado na região central da cidade, o parque fica em cima da montanha que deu o nome à cidade. De lá, têm-se uma vista excelente de toda região sul da cidade: o centro financeiro, a oeste, até a região francófona, a leste. O parque é um dos destinos mais procurados pelos montrealenses e turistas para a prática de esportes: jogging e mountain bike no verão; cross-country skiing e patinação no gelo durante o inverno, quando o lago dos Castores congela.

Parque de Mont-Royal

Parque de Mont-Royal

Há (pelo menos) dois campi universitários que merecem uma visita. A Université de Montreal encontra-se do outro ladro do Parque Mont-Royal e dispõe de um grande campus repleto de árvores e áreas para caminhada. Já à frente do Parque, há o campus central da famosa McGill University, ponto turístico na cidade. Ao caminhar pela rua Sherbrooke, você passará pelos portões de entrada da universidade e poderá ver, ao fundo, o alto do Parque de Mont-Royal. Faça isso pela manhã e aproveite a vista para fotografar os prédios históricos espalhados pelo campus central. O Museu Redpath, ainda dentro do campus, é um museu de história natural com diversas atrações, inclusive cartas escritas por Charles Darwin. Se você gosta de Egito antigo, explore as muitas pesquisas com múmias em exibição. O prédio do museu é, em si, um ponto turístico—visite e você entenderá.

Duas ruas importantes e que merecem uma caminhada: Boulevard St. Laurent e Rua St. Denis. A primeira divide a cidade linguística e geograficamente, de certo modo. Ao passar pelo Boulevard St. Laurent em direção ao norte, você entra na região mais francesa da cidade. A rua, que já foi chamada de The Main (a principal, em inglês) corta Montreal longitudinalmente, e divide a cidade em leste e oeste. Já a Rua St. Denis possui diversos bares e restaurantes e está frequentemente decorada para festivais durante os meses de verão. As duas ruas são paralelas e há cinco ou seis outras pequenas ruas entre ambas. Esta região entre St. Laurent e St. Denis é certamente um dos melhores lugares para caminhar no fim de tarde. Você verá uma arquitetura predominantemente europeia (francesa), com casas de pedra e telhados coloridos—que também poderá encontrar na Sherbrooke Leste, a partir do número 200.

Old Port

Old Port

Por fim, a Velha Montreal: um bairro que vai levar você de volta ao século XIX, com uma arquitetura que lembra muito a Europa. Um dos prédios centrais é a Prefeitura, que é, sem dúvida, um ponto turístico de Montreal. Explore a rua Notre-Dame e visite a famosa catedral de mesmo nome. Depois, pare em algum dos excelentes restaurantes e bistrôs da Place Jacques-Cartier. Em seguida, desça até o píer: é lá que você tem acesso ao melhor rinque de patinação ao ar livre da cidade. Durante o verão, o rinque dá lugar a um lago, e os diversos plátanos criam um cenário fotográfico – é aqui que diversas fotos turísticas da cidade são tiradas. Este lugar, assim como muitos outros em Montreal, apresenta uma paisagem fantástica em qualquer uma das quatro estações. E aí, já está morrendo de vontade de traçar seu roteiro e sair pelas ruas?

Leia também Montreal: Arte e boa gastronomia em um só lugar.

[fotos: Jera Cravo]

Guilherme é formado em Letras (UFRGS), Mestre em Linguística (UFRGS) e estudante de PhD na McGill University, em Montréal. No Brasil, foi professor de língua e cultura inglesa por 10 anos e é, também, Tradutor Juramentado. Iniciou seu processo de imigração ao Québec em 2011, e não pretende voltar ao Brasil. Tem especial interesse em viagens, fotografia, música, ciência e conhecimentos gerais. Possui um blog sobre morar & estudar no Canadá, onde discute, entre outras coisas, bolsas de estudo, qualidade de vida, e dados estatísticos de diversos países.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Diogo Fernandes

    19/jun/2013 at 11:28

    FALTOU CITAR O QUE ESTÁ DESPERTANDO A CURIOSIDADE DOS BRASILEIROS EM CONHECER MONTREAL: O CIRQUE DU SOLEIL!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Turismo

Posts Populares

Topo