Siga-nos

OiCanadá

Carleton Place, On

Vistos e Imigração

Veja como tendência de descentralização populacional no Canadá impacta a imigração

Dados recentes da Stats Canada apontam que a pandemia fez os canadenses mudarem para cidades menores, mas próximas dos grandes centros, e agora já há quem veja pela frente uma profunda reconfiguração do mapa do país. Entenda aqui como isso pode afetar os imigrantes futuros e os recém-chegados.

Até 1911, o Canadá era essencialmente uma nação rural, mas de lá pra cá a situação mudou bastante. Hoje o país é o 38o. mais urbanizado do mundo, com 81,6% da população vivendo em cidades — e, só para comparação, está bem longe do Brasil, que ocupa o 26o. lugar, com taxa de 87.1%. Essa tendência de as pessoas se reunirem nos grandes centros seguia constante até a chegada da pandemia. Mas talvez esteja com os dias contados.

A crise causada pela COVID-19 motivou as pessoas a fazerem um movimento contrário, promovendo uma espécie de corrida às cidades de menor porte. E isto ocorreu em todo o país, mas se mostrou ainda mais acentuado nas duas províncias com maior número de moradores, e que são justamente Ontário e Québec.

Segundo a Stats Canada, foi a pequena Carleton Place, a apenas 46km de Ottawa, que ficou com o título de cidade com o maior crescimento em 2021, pelo acréscimo de 4% da sua população. E o fenômeno não foi um caso isolado: as também minúsculas Cowansville, Québec, e Wasaga Beach, Ontário, cresceram 3,7%.

Já em termos de perdas, as cidades/regiões mais afetadas foram Toronto e Montreal, que bateram recordes de saída de moradores. Além disso, as alterações de endereço atravessaram também as fronteiras provinciais, com Ontário e Alberta sendo as províncias que mais perderam residentes para outras partes do país. 

Motivação

Ainda de acordo com o estudo da agência federal, esse movimento teve como motor a combinação de um desejo de preservação da saúde aliado à possibilidade de trabalho remoto e à alta histórica do custo da moradia que afetou tanto aluguéis quanto compras. As pessoas também citaram a vontade de morar perto de suas famílias, para apoio mútuo.

Já do ponto de vista mais prático, os destinos escolhidos parecem ter em comum o acesso à internet de alta velocidade, a escolas e atendimento médico considerados bons e a presença de coisas básicas, com um supermercado de porte no entorno, academia e parques.

As 10 cidades que mais cresceram em 2021 (StatsCan)

  1. Carleton Place, On – 3,8%
  2. Cowansville, QC – 3,7% 
  3. Wasaga Beach, ON – 3,5 %
  4. Woodstock, ON – 3,1 %
  5. Lachute, QC – 2,9 %
  6. Collingwood, ON – 2,9 %
  7. Kelowna, B.C. – 2,6 %
  8. Squamish, B.C. – 2,5 %
  9. Whitehorse, Yukon – 2,4 %
  10. Arnprior, ON – 2,3 %

Impacto na imigração

A mudança de rota na movimentação interna dos canadenses revela várias coisas interessantes e acabam impactando a imigração. A primeira delas é que o governo federal, diante desses dados e se a tendência se consolidar, deve abrir novas frentes de investimento para garantir saúde, educação e infra-estrutura básica (estrada, internet, lazer, eletricidade, água, esgoto…) para esses novos bolsões de crescimento populacional. 

No mesmo sentido, podem surgir planos locais ou nacionais de descentralização do trabalho, com a instalação de serviços agora estabelecidos em grandes cidades, para algum outro ponto do interior. Essas ideias, por exemplo, já estão sendo colocadas em prática no Québec, que está com um agressivo plano de implementação de internet rápida já acontecendo nas regiões hoje não contempladas pelo serviço e que também já anunciou a interiorização de alguns de seus departamentos.

Tudo isso pode abrir novas oportunidades de trabalho e de imigração, já que o problema da falta de mão de obra é grande e tende a se agravar com a pulverização da população. Há também a possibilidade de os candidatos à residência permanente se organizarem melhor em seus planos, estudando mais uma ou outra língua, se especializando em um determinado campo de trabalho e verificando mais amplamente todos os programas localizados de imigração (veja o programa de imigração rápida de Alberta). E mesmo os recém-chegados podem também analisar as vantagens de uma mudança mais drástica de endereço.

Ainda existe a possibilidade de surgir uma interessante “guerra” entre as cidades, em especial as maiores, porque mais do que nunca será preciso ter uma estratégia de atração e retenção de moradores, já que o seu crescimento dependerá prioritariamente da chegada de estrangeiros. De fato, o relatório da StatsCan mostrou mesmo que os novos residentes permanentes foram os maiores responsáveis pelo crescimento populacional entre julho de 2020 e julho de 2021, e isso apesar de todas as complicações impostas pela pandemia. 

Em outras palavras, este é um excelente momento para iniciar um projeto de imigração, mesmo que ele não seja de curto prazo, e de pensar no país todo como possibilidade, sem se restringir aos mais tradicionais locais de concentração de estrangeiros.

Para saber mais

Fernanda é carioca, publicitária, co-fundadora e editora-chefe do OiCanadá. Imigrou para o Canadá no final de 2006 e se tornou cidadã canadense em 2011.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Vistos e Imigração

Topo