Siga-nos

OiCanadá

Educação

Colleges particulares operam de forma ilegal em Ontário

Fazer um curso pós-secundário no Canadá pode ser um bom investimento, mas é preciso tomar cuidado na hora de escolher a instituição de ensino. O OiCanadá teve acesso ao relatório divulgado recentemente pela Auditoria Geral de Ontário (órgão responsável por fiscalizar operações na província), onde ficou constatado que diversos colleges particulares estão operando de forma ilegal.

A catarinense Elisângela Coelho esteve no Canadá em 2007 para estudar Turismo em um dos colleges de Toronto. O curso teve duração de 10 meses e custou mais de nove mil dólares, fora o valor do material. Somente depois que ela voltou ao Brasil, descobriu que a escola que estudou não estava registrada pela província de Ontário. “Por ironia do destino, o meu diploma terminou valendo mais no Brasil do que no Canadá. Aqui, serve como prova de que fiz um curso no exterior, mas se morasse em Toronto, seria apenas um papel, sem validade nenhuma”, disse ela em entrevista por telefone ao OiCanadá.

Casos como o de Elisângela se repetem com milhares de alunos que gastam tempo e dinheiro em colleges particulares que nem deveriam estar funcionando em Toronto e outras cidades do Canadá. Um relatório elaborado pelo auditor geral de Ontário, Jim McCarter, mostrou que apesar do Departamento de Treinamento, Colleges e Universidades da província ter tomado algumas iniciativas para melhorar a fiscalização de colleges privados, muito ainda precisa ser feito.

O relatório indicou que no momento não existe nenhuma medida de fiscalização de rotina do governo para verificar se as instituições de ensino que receberam ordem de despejo continuam operando ou não, e afirmou ainda que alguns desses colleges continuam funcionando ilegalmente. “Antes de se matricular em um college, estudantes e contribuintes devem se assegurar de que ele ofereça programas aprovados, registrados e reconhecidos”, disse Jim McCarter. “Uma melhor fiscalização por parte do governo também beneficiaria aqueles colleges que obedecem às regras”.

De acordo com o relatório, existem somente oito inspetores trabalhando na fiscalização de 470 colleges particulares em Ontário, que atendem 60 mil estudantes. Os fiscais precisam checar as qualificações dos professores, contratos e reclamações de alunos, normas de matrícula e anúncios publicitários. Quando o auditor pediu uma lista de inspeções feitas durante os três anos anteriores a 2011, o Departamento de Treinamento, Colleges e Universidades não teve como providenciá-la, apesar de admitir que para que haja uma eficácia na supervisão de instituições de ensino, seriam necessárias de 150 a 200 fiscalizações por ano.

Reputação comprometida

O problema é tão agravante, que após receber um grande número de reclamações de estudantes matriculados nessas instituições, sites governamentais de países como China e Coréia do Sul chegaram a colocar um aviso alertando seus cidadãos sobre programas precários em alguns colleges particulares de Toronto e Vancouver. O comunicado dizia que, além das queixas dos cursos, havia também uma falta de suporte aos estudantes vítimas de “colleges que prometem mais do que cumprem”, além de ser quase impossível conseguir um reembolso pelo prejuízo causado.

Não é difícil encontrar listas de discussões na internet sobre o assunto. Em diversas delas, internautas aconselham estudantes a procurarem os “colleges verdadeiros”, se referindo aos colleges públicos. “Não me surpreenderia em saber que a má reputação dos colleges privados tenha sido causada pelo grande número de reclamações de estudantes dessas instituições”, disse a especialista em Recursos Humanos, Paula Lessa.

Quanto ao mercado de trabalho, Paula afirma que em carreiras mais técnicas, como programador e gerente de hotel, a experiência termina valendo mais do que o curso, mas o diploma de um college pode ser crucial no desempate entre dois candidatos. “Nesse caso, sai em vantagem quem frequentou um college público, porque geralmente eles são mais reconhecidos no Canadá”, afirma ela.

O Departamento de Treinamento, Colleges e Universidades coleta informações sobre o índice de aproveitamento e contratação de estudantes que frequentaram colleges públicos, mas desde 2006 parou de coletar esses dados das instituições privadas. A maioria dos estudantes que participaram de um estudo feito pela Auditoria Geral da Província, respondeu que essa informação seria importante para ajudá-los na escolha do curso e em que instituição estudar.

Um site mantido pelo governo de Ontário traz uma relação de todos os colleges particulares que são registrados na província. Informa ainda os cursos oferecidos pelas instituições, além do tempo de duração e preço de cada um deles. Para saber mais sobre colleges e universidades em Ontário, visite o post do OiCanadá College, university ou o quê?.

Marcio Rollemberg é pernambucano e formado em jornalismo. Foi editor-chefe de um telejornal universitário, produziu documentários e trabalhou como repórter de TV no Brasil. Em 2005 mudou-se para Toronto e atualmente é um dos colaboradores de uma revista e de um canal de TV. Em 2011 juntou-se a equipe do OiCanadá, onde escreve matérias sobre Turismo e Variedades.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Educação

Receba as novidades do blog por email

Digite seus dados abaixo para assinar nosso boletim e receber todas as novidades do blog em sua caixa postal. É de graça e você pode se descadastrar a qualquer momento.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
Topo