Siga-nos

OiCanadá

Lazer

Black Friday conquista milhões em vendas e consumidores insatisfeitos

[LUCIANO DUTRA] Ano após ano, as vendas durante a liquidação mais famosa do mundo só aumentam. Mas o sucesso vem acompanhado de reclamações dos consumidores. Todo ano é a mesma coisa… Apesar dos consumidores preparados conseguirem tirar proveito do evento, os demais costumam fazer muitas queixas sobre as mais diversas questões. A opinião sobre o Black Friday é bastante variada, e pesquisas comprovam a insatisfação dos compradores mundo afora, tanto no Canadá quanto no Brasil, e até nos EUA.

Entre as queixas mais comuns está o fato das empresas aumentarem os preços dos produtos antes do dia da liquidação para compensar grandes ofertas.

No Brasil, as reclamações mais populares em relação ao comércio eletrônico durante a Black Friday são sobre os sites que travam, preços que mudam na hora de pagar, atrasos na entrega da mercadoria e cancelamento de compras por parte da empresa.

Já nas compras realizadas diretamente em lojas físicas os problemas são outros, e vão desde aguardar muito tempo em filas para depois ver que a mercadoria acabou até ter que aguentar o empurra-empurra dos clientes.

Comparando o evento atual com os dos anos anteriores, principalmente no Brasil e Canadá, é possível observar um aumento no número de compradores preparados, aqueles que se preocupam em fazer uma pesquisa dos produtos disponíveis, preços e promoções. Mas só mesmo com muita disciplina, visto que a maioria gosta mesmo é de comprar pelo impulso, pelo mero prazer da compra, e que, às vezes, esperar e aproveitar o melhor momento para a compra não é opção.

Em Porto Alegre, o consumidor Luis Kobielski disse que se preparou fazendo uma lista, e que sabia, além do valor das mercadorias, a variação de preços bem antes da data. “Eu me preparei para o Black Friday da seguinte maneira: primeiro fiz uma lista dos itens que precisava comprar com seus respectivos preços de mercado e lojas onde eu conseguiria encontrá-los. Depois estabeleci o quanto pagaria por cada um daqueles itens. Em média, eu compraria tudo que estivesse com desconto real acima de 30%. Além disso, atualizei o meu cadastro nos sites de compras e curti a página no Facebook de 5 ou 6 lojas pelas quais eu tinha preferência, tais como  Netshoes, Submarino, Americanas, Walmart, Balão da Informática, Kabum e Extra. Me preparei apenas para compras em lojas eletrônicas, pois prefiro comprar pela internet.”

Luis relatou ainda que comprou os itens que valiam a pena e mais alguns que surgiram como oportunidade. A procura e a compra de Luis foram em cima de peças de bicicletas e de suplementos alimentares. Entre seus amigos que participaram da promoção, os itens mais procurados foram os smartphones. Na sua opinião, ele acredita que valeu a pena, que houve descontos de verdade em sites de grande empresas. Já em sites de empresas menores, percebeu descontos em itens irrelevantes e também encontrou produtos com valores normais. Lembrou que, diferente de outros anos, os sites travaram menos depois da meia noite.

Para Vinícius Pinto, morador de Miami Beach, USA, o Black Friday é uma loucura. Ele participou do evento nos Estados Unidos pela segunda vez e diz que os descontos são enormes, principalmente nos eletrônicos. Vinícius afirma comprar sem se preparar, mas só o que realmente precisa. Quando chega a data, aproveita para ver se realmente precisa de algo e não deixa de especular uma ótima oportunidade. Nesta edição, Vinícius não gastou muito, mas a compra que efetuou pelo site da Amazon valeu muita a pena. Teve 50% de desconto e a entrega foi em 48 horas. Não quis revelar qual foi o produto. E ainda brinca: “não sei se precisava mesmo, mas a publicidade do e-commerce me deu certeza que sim!” Por lá, na Flórida, os produtos mais procurados são os eletrônicos, principalmente TVs de LED. Como exemplo, Vinícius diz que uma TV de 50” estava saindo por 480 dólares nessa última Black Friday.

A opinião de alguns moradores de Toronto, no Canadá, em uma conversa de roda, foi em comum: existem boas promoções, mas tem que saber o preço normal dos produtos antes, visto que ao longo do ano, em muitas lojas, os descontos são ótimos. Disseram, também, que alguns preços após o Black Friday, continuaram com os descontos. Dentre os entrevistados, todos aproveitaram para dar uma passadinha no shopping e deixar alguns dólares nas lojas participantes do evento.

Para aproveitar de fato a Black Friday, seja no Brasil, Canadá ou Estados Unidos, o importante é pesquisar e se programar. Essa é a única forma de saber se está tomando boas decisões. Mas, se você pretende comprar por impulso mesmo, aí tanto faz, Black Friday é só mais uma desculpa e no final das contas você vai ter economizado algum.

Não deixe de se preparar para 2015 e boa economia!

Continue lendo
Publicidade
Leia também...
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Lazer

Receba as novidades do blog por email

Digite seus dados abaixo para assinar nosso boletim e receber todas as novidades do blog em sua caixa postal. É de graça e você pode se descadastrar a qualquer momento.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
Topo