Siga-nos

OiCanadá

Trabalho

Ontário anuncia licença temporária para médicos formados fora do Canadá

A província deu um primeiro passo para inserir imigrantes formados em medicina no mercado de trabalho da província. E a British Columbia já está com a papelada em andamento para fazer algo semelhante. Mas há requisitos, e ainda muitas limitações que, no entanto, parecem estar com os dias contados.

O College of Physicians and Surgeons of Ontario (CPSO), órgão de classe responsável pela expedição de licenças para que médicos estrangeiros possam trabalhar na província, criou uma permissão temporária de 30 dias renováveis por outros 30 dias.

Os critérios para a liberação da documentação, no entanto, são ainda claramente voltados muito mais para acelerar a certificação de recém-formados no Canadá do que para a inserção dos médicos imigrantes no mercado de trabalho canadense. Mesmo assim a medida é encarada como um passo na direção certa e sinaliza novas possibilidades.

Inexplicável segredo

A novidade foi implantada quase em segredo na metade de março. Inexplicavelmente, o CPSO optou por não divulgar a medida e, por isso, recebeu até agora apenas 12 pedidos, dentre os quais dez já foram liberados.

A licença temporária foi batizada de Supervised Short Duration Certificate (Certificado Supervisionado de Curta Duração) e habilita os aprovados a atuarem em hospitais, unidades psiquiátricas e agências governamentais desde que um médico da organização aceite atuar como supervisor do trabalho. 

Critérios

Os interessados devem ser pessoal formado em medicina no Canadá, EUA ou uma faculdade que, no momento da graduação do candidato, estivesse listada no Diretório Mundial de Escolas de Medicina. E que tenham praticado medicina, graduado ou passado no exame do Medical Council of Canada nos últimos dois anos. Também é de responsabilidade do interessado arranjar uma vaga de trabalho e um supervisor.

Só em Ontário a estimativa é de que existam 13.000 médicos formados fora do país e que não trabalham no setor. E isso em um momento em que quase 10% dos casos de COVID-19 na província são de profissionais da saúde e em que há uma expectativa de um forte aumento no número de infectados.

Por tudo isso, a pressão continua e a expectativa é de que muito em breve as regras mudem outra vez e passem a incluir até mesmo enfermeiros e outros setores ligados à saúde.

1 Comentário

1 Comentário

  1. aline

    15/abr/2020 at 17:14

    Fátima sou médica brasileira e tenho interesse!
    Vc tem algum lugar onde ou e-mail onde a gente pode contactar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Trabalho

Topo