Siga-nos

OiCanadá

Vancouver, BC

Vistos e Imigração

Conheça as cidades com maior índice de retenção de imigrantes e como isso pode ajudar na sua escolha

Existem mais de cem caminhos de imigração para o Canadá e em quase todos eles o candidato escolhe já na primeira etapa do processo a cidade ou província onde vai morar. Mas como definir isso sem conhecer direito o país? Uma boa indicação é dar uma espiada na lista dos campeões de retenção, ou seja, o nome das localidades que menos perdem imigrantes para outros destinos. Confira aqui o ranking das cidades e províncias com maior índice de retenção e veja como usar os dados para melhor traçar o seu futuro.

O governo federal mantém desde 1980 uma pesquisa sobre a retenção de imigrantes de acordo com a província e cidade escolhidas para o seu desembarque. A ideia por trás desta compilação é melhor entender porque tem gente que chega e fica ali mesmo, naquela cidade ou província, e porque outros mudam já nos primeiros cinco anos após a chegada. Os resultados do último levantamento foram revelados em dezembro de 2021.

Desembarque x Permanência

Historicamente, os destinos prediletos dos imigrantes são, em ordem descendente, Ontário, British Columbia, Québec e Alberta, com as mais populosas cidades de cada uma das províncias recebendo o maior número de novos moradores. E os dados provam que, via de regra, a tendência é de permanência na cidade escolhida pelo imigrante para começar sua vida no Canadá.

No entanto, quando foi feita a análise de retenção comparando 2014 com 2020, veio a surpresa. Ontário tem mesmo a melhor pontuação, com 94% de retenção. British Columbia fica em segundo com 90%, mas é Alberta que surge na terceira colocação com 89%. Os dados de Québec, por sua vez, nem foram divulgados, mas tudo indica que estejam em um patamar semelhante ao de 2018, quando a província não passou dos 80%. Mesmo assim, a província mais francesa do país não é a lanterninha. A região com os piores resultados é a costa leste do Canadá, onde o melhor número, da Nova Escócia, é de apenas 62.8% (mas vem crescendo!).

Cidades com melhor desempenho

Mais surpreendente, porém, é ver que a segunda cidade mais escolhida como primeiro endereço para os imigrantes — Vancouver, British Columbia — é a primeira em termos de permanência, batendo Toronto – ON, que vem em segundo lugar, com a “zebra” Edmonton, em Alberta, em terceiro, Calgary, também em Alberta em quarto e, por fim, Montreal no Québec ocupando a quinta posição.  

Cidade, ProvínciaTaxa de retenção
Vancouver, BC86,1%
Toronto, ON85,5%
Edmonton, AB84,6%
Calgary, AB82,9%
Montreal, QC74,1%

Fatores que afetam a taxa de retenção 

Parte do poder de retenção tem a ver com um círculo vicioso: as cidades com mais imigrantes tendem a receber mais recém-chegados e isso cria uma rede informal quase invisível, mas muito eficiente. O local pode ter mais produtos culturalmente ligados a quem está chegando (itens no supermercado, restaurantes, festas, prestadores de serviços falando a mesma língua) e isso faz a pessoa se sentir mais “em casa” e ir ficando.

Do mesmo modo, destinos tradicionais dos imigrantes tendem a ter mais estrutura para apoio aos recém-chegados. Mas um fator que se mostra decisivo é a presença de familiares. Quem tem parente por perto quase nunca sai do lugar e as estatísticas comprovam isso.

No cruzamento dos dados também surgem outras informações interessantes. Por exemplo, a taxa de retenção é maior entre refugiados (93%) e entre os imigrantes que já tinham experiência de trabalho na província antes de serem oficialmente admitidos como residentes permanentes (90.2%). Mas cai entre os que tinham visto de estudo e de trabalho antes da imigração oficial (81.3%) e despenca ainda mais entre aqueles que, antes de receberem a residência permanente, tinham apenas visto de estudante (79.1%).

Por que pode ser importante analisar isso?

No final das contas, o perfil de cada candidato precisa ser levado em conta. Há quem prefira viver perto do mar, enquanto outros amam as montanhas ou podem se encantar com as planícies sem fim típicas de Manitoba, por exemplo. Há quem prefira frio e neve ou se dê bem com mais chuva. Ou quem seja mais urbano ou se adapte bem a cenários mais rurais. Pesa ainda o tipo de profissão que a pessoa tem em mente, porque a demanda, claro, pode mudar de maneira drástica de um lugar para outro.

Mas, sobretudo, o que os dados mostram é que ter familiares por perto e um trabalho garantido já na chegada — ou ter experiência de trabalho canadense antes de se candidatar à imigração — são mais importantes que a localização da cidade. E, por isso mesmo, o governo vem cada vez mais desenvolvendo programas que levam isso em conta, de um lado atendendo as demandas do mercado de trabalho com streams específicos e ao mesmo tempo aumentando o suporte para os recém-chegados às áreas tradicionalmente com menos imigrantes. 

Brasileiros

Não há dados disponíveis que tracem o vai-e-vem ou permanência dos brasileiros dentro de uma cidade ou província do Canadá. Mas os números revelam que a preferência tem sido um pouco diferente, com Toronto – Ontário na liderança, Montreal – Quebec como vice-líder, Vancouver – British Columbia em terceiro lugar e Calgary – Alberta em quarto.

Mas não se engane: há brasileiros felizes em tudo quanto é parte do Canadá, O gelado Yukon, por exemplo, tem pelo menos dez e o mesmo vale para Nunavut.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Vistos e Imigração

Topo