Siga-nos

OiCanadá

Experiência

Matando a saudade com auxílio da tecnologia

Enquanto estiver aqui em Toronto, um de seus melhores amigos sempre será o laptop, com internet, MSN, Skype e todos os outros programas de bate-papo instantâneo.

“Elas eram três amigas. Duas fizeram uma viagem de intercâmbio para Nova York. O único jeito de se comunicar com a amiga que ficou no Brasil era por carta, que demorava semanas para chegar. E quando chegava, a novidade tinha passado e já havia um monte de outras histórias a serem contadas. O jeito foi, toda noite, gravarem uma fita K7 com tudo que acontecia no dia, e no final da semana mandar por correio. A que estava no Brasil fazia a mesma coisa. E assim foi por anos e mais anos, até que um dia as três estavam juntas novamente e hoje dão risadas da situação”.

Você já parou pra pensar em como era a vida sem internet? Na verdade, eu peguei um pouco deste tempo não tão moderno, mas nunca parei pra pensar sobre isso.

Essa história aconteceu com uma amiga minha. E conversando por email, ela perguntou sobre as minhas saudades da família. Foi então que percebi como a tecnologia ajuda a disfarçar a distância que existe entre mim e todos que deixei no Brasil, e também como isso afeta minhas emoções. O que posso pensar neste momento é que, por causa das ferramentas que temos atualmente, como os programas de bate-papo instantâneo, fui capaz de passar datas importantes da minha vida longe da família em um ritmo tão natural que nem eu consigo acreditar.

A primeira das datas foi o Dia dos Pais do ano passado. Aliás, cheguei ao Canadá faltando uma semana pra esta data, que até então nunca havia passado separada do meu pai. Mas lembrando bem deste dia, a situação ainda foi um pouco complicada pra mim, porque eu não estava acostumada a ver todos por uma telinha de computador.

Os dias foram passando e nós (minha família e amigos) fomos acostumando com a modernidade e, ao mesmo tempo, ficando fascinados com tudo isso, que parece até mágica. Além de contarmos tudo o que estava acontecendo dos dois lados, a gente ainda mostrava fotos. Assim, eu vi toda a reforma da casa do meu irmão, as coisas que o meu noivo estava comprando para nossa casa e até estava “presente” no momento em que caiu o primeiro dentinho do meu afilhado. Fui presenteada com duas festas surpresa de aniversário: uma com os amigos de Toronto e a outra com a família em casa, que me preparou bolo, bexigas e um “Parabéns a Você” todo especial.

Toronto é uma cidade tecnológica e é difícil encontrar um lugar sem acesso à internet. Por isso, quando eu paro pra pensar na resposta a dar para minha amiga sobre a saudade, sem dúvida alguma posso dizer que ela existe e é cada vez mais forte. Mas, por outro lado, é mágico ver a maneira como você pode participar de todos os momentos especiais junto à família, mesmo estando distante. Também acredito que era boa a ansiedade da espera por uma fita K7, mas é muito prazerosa esta sensação de se fazer presente em situações que pensei que fosse perder durante a minha viagem. Por isso, você que pensa em vir pro Canadá, já prepare sua família com um bom computador, webcam e microfone, e depois você me conta como foi.

Continue lendo
Publicidade
Leia também...

Curiosa por natureza e apaixonada por arte desde os primeiros passos, Élida sempre quis descobrir tudo que tinha por trás dos grandes resultados. Como sua personalidade não é ficar num único ponto, o jornalismo foi como uma porta que se abre para o novo todos os dias. “Nunca nenhum dia é igual ao outro; sem contar que passo conversar sempre com gente nova e interessante”, diz Élida. Pós-Graduada em Comunicação Corporativa. Nove anos de experiência no mercado de Comunicação, atuando como editora em revistas e apresentadora em programa televisivo no estado de São Paulo (Brasil). Chegou ao Canadá em 2009 e agora escreve para OiCanadá contando toda a experiência que o Canadá tem lhe dado.

4 Comentários

4 Comments

  1. Lucia

    05/mar/2010 at 14:30

    Oie ,
    Então vou dizer como disfarçei a saudade de casa nesses 10 meses longe de casa. Assim que resolvi ir pro Canadá , minha familia e eu compramos Rádios , tipo Nextel para nos comunicarmos , então estive presente e bem presente em todos os momentos da familia , inclusive durante a cirurgia plastica da minha mãe.

  2. Vládia

    03/mar/2010 at 21:53

    Oi queridona,

    Nossa, é inacreditável como faz pouco tempo que não tínhamos internet… Tudo evoluiu muito rápido!
    Saudades!
    Beijos!

  3. Élida

    03/mar/2010 at 16:17

    É isso mesmo, Ana. Quando eu lembro dessas situações, chego a pensar que nunca houve um mundo sem internet kkkk. Obrigada por compartilhar a sua história conosco. Grande abraço.

  4. Ana

    03/mar/2010 at 09:19

    Quando eu fiz intercâmbio em Niagara Falls em 1995, minha comunicação com os amigos era por carta e o processo todo – eu mandar a carta, elas receberem e eu receber a resposta – demorava 1 mês em média.

    Com meus pais, me comunicava semanalmente por fax – toda segunda de manhã eu mandava um com as novidades, e de tarde minha mãe me respondia. Minha mãe ainda conseguiu na época um serviço tipo VoIP de hoje, que fazia ligações relativamente baratas, então eu ligava 1 vez por mês.

    Hoje em dia é tudo tão fácil que parece que 1995 sem internet era outro planeta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Experiência

Receba as novidades do blog por email

Digite seus dados abaixo para assinar nosso boletim e receber todas as novidades do blog em sua caixa postal. É de graça e você pode se descadastrar a qualquer momento.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
Topo