Siga-nos

OiCanadá

Cultura

Mais que uma gentileza

A gorjeta no Canadá é algo completamente diferente daqueles dois reais que você carinhosamente deixava para o garçom no Brasil. É mais que uma questão de educação e pode variar de 10% a até 25% do valor da conta.

O Canadá é um país que se orgulha em acolher centenas de nacionalidades diferentes, e faz dessa salada uma cultura completamente nova. O OiCanadá traz uma matéria para você se familiarizar com um costume bem peculiar da cultura canadense: o hábito de dar gorjetas, ou em inglês: tipping.

Em geral, a “regra” é dar pelo menos 15% do valor da conta (calculado sem as taxas do governo), valor que pode ser pago em “cash”, ou adicionado ao pagamento com cartão de débito ou crédito.

Se por acaso você não ficou satisfeito com o serviço, tem o direito de não deixar gorjeta, mas nesse caso o ideal é expressar os seus motivos conversando com o gerente do estabelecimento. Assim ele fica sabendo como melhorar o serviço, e você ainda pode ganhar um desconto para a próxima visita (não é o caso de todos os lugares). Também é importante lembrar que se a comida não está ao seu gosto, a culpa não é do garçom, e sim de quem trabalha na cozinha.

Amanda P., de 20 anos, trabalha como garçonete em uma das lojas da rede Applebee’s em Toronto. Ela conta que a gorjeta é muito importante porque apenas o dinheiro do contra-cheque não é suficiente para todas as suas despesas. “Viver de paycheck to paycheck não dá. Eu uso o que ganho de gorjeta para os gastos de transporte”, desabafa. Mas ela se queixa de que nem sempre o cliente colabora: “É frustrante às vezes porque você roda pra todos os lados a noite toda, fazendo de tudo para o cliente se sentir satisfeito com o serviço, e quando ele não deixa a gorjeta eu não só fico sem grana, mas ainda acabo pensando que estou fazendo alguma coisa errada.”

Tamanha é a importância desse “dinheirinho extra”, que a maioria dos restaurantes na América do Norte paga a seus funcionários um salário abaixo do mínimo (que no Canadá é de C$10.25 por hora de trabalho e C$9.60 para menores de 18 anos), já contando que o salário será complementado com as gorjetas pagas pelos clientes.

Se ganhar, é lucro

Em restaurantes de fast-food e cafeterias (como o McDonald’s e o Tim Horton’s, por exemplo) não é necessário pagar a gorjeta, mas ela é aceita e muito bem-vinda se o lugar tiver uma latinha onde há a palavra “tips”, que quer dizer “gorjetas” (geralmente essa latinha fica ao lado do caixa). Aí vale qualquer valor, até mesmo centavos. “O canadense é bem legal quando o assunto é gorjeta. Mesmo quando eles compram apenas café, muitos deixam pelo menos as moedas do troco” diz Amanda.

Vou de táxi

As gorjetas não estão apenas nos restaurantes. Também é comum dá-la a taxistas, embora no Canadá nem todo mundo faça isso. Mas se o taxista ajudou você com malas no aeroporto ou com as compras no supermercado, pode ter certeza que ele estará esperando receber uns “trocados” a mais. Nesse caso, 15% é uma gorjeta generosa. A maioria das pessoas arredonda o valor da conta (se ela deu C$17, paga-se C$ 20, por exemplo) ou deixa um “toonie” (moeda de C$2) como forma de agradecimento.

Salões de beleza também são lugares onde a gorjeta é esperada: um mínimo de 15% ou mais se você estiver muito feliz com o serviço prestado.

Indispensável

Já nos bares, ela é tão extremamente importante, que se você não deixar a gorjeta, o garçom ou bartender vai pedir que você pague. Funciona assim: dependendo do preço da bebida, você deve deixar pelo menos de um a dois dólares. Para economizar na tip, muitos pagam por duas ou três bebidas de uma vez e deixam uma só gorjeta. Aqui também vale a dica usada para taxistas: se o serviço prestado foi muito bom, deixe um pouco mais.

Delivery

Entregadores de pizza ou de qualquer outra forma de comida take-out também recebem gorjeta.  Ela é geralmente de 15%  (quando paga em cartão de débito ou crédito, a opção de pagar a gorjeta aparece na máquina) ou de dois a três dólares se você pagar em dinheiro. Se o seu pedido for grande, aumente a gorjeta para 20% ou para quatro a cinco dólares.

Segue uma tabela para você imprimir e guardar na carteira:

 
Gorjeta
Estabelecimento/ServiçoPéssimoBomExcelente
Restaurante0-10%15%20-25%
Bar0C$1-C$2C$2-C$4
Salão de Beleza0-10%15%20-25%
Táxi0C$1-C$215%
Serviço de Entrega0C$1-C$2C$2-C$5

Na próxima vez que você levar a família para comer em um restaurante em Toronto – ou em qualquer cidade no Canadá – não esqueça da gorjeta. A conta foi C$100? É bom ter no bolso no mínimo $115 para não fazer feio. Sair sem pagar gorjeta é considerado uma falta de educação tão grande quanto falar de boca cheia.

Continue lendo
Publicidade
Leia também...

Marina se mudou para o Canadá em 2006 e completou seu high-school diploma em Mississauga. Hoje ela estuda Jornalismo na Ryerson University em Toronto e carrega sua máquina fotográfica por todos os cantos.

26 Comentários

26 Comments

  1. Walter Oliveira

    10/set/2016 at 16:49

    BOA TARDE, MEU NOME É WALTER. FIQUEI SURPRESO PELA MATÉRIA.
    AQUI NO BRASIL OS DONOS DOS RESTAURANTES É QUE CONTROLA AS GORGETAS. PAGAM DO JETO DELES. ISSO DEIXA AGENTE MUITO TRISTE.
    FIQUEI MUITO FELIZ COM ESSA MATÉRIA. MUITO OBRIGADO. WA

  2. Randal

    29/nov/2010 at 16:55

    Eu acho que a pessoa tem o direito de escolher se vai ou não dar gorjeta porque o dinheiro é dela e ela já esta pagando pelo serviço, a gorjeta é um bônus. Caso os funcionários dependam das gorjetas para “sobreviver” então os patrões não deviam tirar 4% dos pobres coitados. E falta de respeito é desmoralizar um cliente que não te deu uma gratificação, pois fazendo isso você apenas está confirmando que não há merece.

  3. Luís Felipe

    23/nov/2010 at 18:22

    Marina, muito bom o seu artigo. Objetivo e esclarecedor!!! Eliminou a minha dúvida a respeito, que tive desde que cheguei em Toronto. Aliás, já passei pela mesma situação em mudanças no Brasil mesmo, pois há diferenças entre regiões especialmente em outros serviços que não o de garçom. Enquanto que no Rio de Janeiro as gorjetas / gratificações são frequentemente esperadas, muitas vezes vi em outros lugares que as pessoas ficavam surpresas com gorjetas, tipo em barbearias, serviços de entregas, etc.. Bem, voltando ao Canadá, agora não dá mais para dar uma de “João-sem-braço” eheheh (brincadeirinha).

  4. Marilza

    23/nov/2010 at 17:17

    Marina, excelente trabalho. Você soube escolher muito bem o tema e o desenvolveu de forma clara e objetiva. Parabéns! Marilza

  5. Elaine Cardoso

    23/nov/2010 at 14:31

    Excelente materia!

    Muito bem escolhido e escrito o tema.

    Aborda com leveza e objetividade a questao da gorjeta no Canada, mais um dentre tantos costumes que devemos nos adequar como imigrantes. Acho importante sim darmos gorjetas, nao so para valorizarmos o trabalho das pessoas como tambem para tirar a pessima fama que os brasileiros têm nesse sentido.

    Cada pais tem seus costumes e nos, que NÃO fomos convidados a vir pra ca, temos que nos ajustar a eles.

    Infelizmente algumas pessoas aproveitam qualquer oportunidade para despejar suas frustrações profissionais.

  6. Ceny Tavares

    23/nov/2010 at 12:47

    Ilustrissima Marina,
    Parabens pela bela materia e tambem por sua mente brilhante e exponencial. Que Deus continue abençoando ricamente sua vida. Que voce se mantenha focada no alvo de ser uma profissional de ponta, gerando muitos outros artigos que seguramente contribuirao para o enriquecimento de todos que se alegram com o seu inquestionavel potencial. Sucesso Marina! Voce e uma joia de inestimavel valor!
    Com meu especial e sincero abraco,
    Ceny

  7. Ricardo Silveira

    23/nov/2010 at 07:56

    Parabéns pelo artigo, Marina.
    Você não está apenas redigindo um texto, mas educando (ajudando) os brasileiros que chegam à essa nova terra e ainda estão carregando consigo a cultura brasileira.
    Além disso, dar gorjeta é um reconhecimento pelo bom serviço prestado por esses profissionais que, mesmo no Canadá, não recebem um salário suficiente.
    Excelente!!!

  8. Fabio Cuizzi

    23/nov/2010 at 03:02

    Marina,

    Assunto interessante e curioso, muitas vezes nao atentamos para este detalhe no dia a dia aqui no Canada.
    Acredito que vai ajudar muitas gente !
    Sucesso !

    Abs.,

    Fabio Cuizzi

  9. Ranieri

    22/nov/2010 at 23:50

    Parabens pelo artigo muito bem configurado Marina…
    Gostaria de ler outros temas basicos e importantes como esse apresentado por voce. Os dados nao fojem a realidade, pois ja fui um trabalhador que tambem dependia dos famosos TIPS, reconheco que essa cultura nos USA eh bem mais difundida e praticada por la do que aqui, mas valeu a esplanacao do assunto.

  10. Val

    22/nov/2010 at 21:49

    Oi Marina,

    Parabéns, seu texto deixa bem claro como devemos agir na hora de pagar a conta, muitas vezes ficamos em duvidas sobre o valor correto. Ainda bem que não gastamos muito, pois quem gasta mais precisa, obrigatoriamente, dar uma gorgeta maior… rsrsrs..
    Continue assim e o sucesso te acompanhará.
    Beijo.

  11. Andre

    22/nov/2010 at 20:39

    Pessoal,

    Gorjeta não é questão de se pagar bem ou mal o funcionário porque ele é medido de acordo com a qualidade de atendimento ao cliente. Designer NUNCA se compara com uma profissão de atendimento ao cliente, por isso nunca vai receber gorgeta. Sem noção esta comparação do Dimitri. Mesmo que um restaurante pague super bem o funcionário, i.e: 20/h, quem ganha gorgeta nunca vai preferir ganhar um fixo melhor do que menos fixo+gorgeta porque com a gorgeta eles podem tirar muuuiiitoo mais. Quem trabalha como garçom na rede de restaurante Cactus, The Keg, costuma tirar só de gorgeta entre 350$ ~ 400$ por dia ! Digo isso pq já trabalhei lá….agora vai lá para ver a qualidade de serviço e atendimento…excelente ! Se o dono pagasse 30$/h para o funcionário, simplismente eles iriam falir…Muito bem colocado no post que Gorgeta é uma questão de educação…

    Pena que temos brasileiros com esta mentalidade rasa e que ainda conseguem imigrar para o Canadá…

    • JulimArquiteto

      23/nov/2010 at 13:58

      O texto realmente é muito bom.

      Agora, se fôssemos no raciocínio do Sr. André, ninguém faria curso superior. Era melhor todos trabalharmos em bares de alta categoria que a sua vida financeira estaria REALMENTE resolvida.

      Um abraço.

      Júlio

      • Andre

        23/nov/2010 at 17:54

        JulimArquiteto,

        vc entendeu perfeitamente. Os Canadenses não tem como prioridade fazer um curso superior. Trabalho na área de TI e apenas 35% do grupo possuem um diploma superior. Isso é super comum em várias profissões. No Canadá vc não precisa ser formado para ganhar bem. Conheço encanadores, pessoal de construção, garços, que ganham tão bem quanto um Engenheiro formado e com mestrado. Isso é uma caracteristicas nos países de primeiro mundo: Baixa desigualdade social e qualidade de vida disponível para todos.

  12. Aida Saraiva

    22/nov/2010 at 20:22

    Parabens Marina, pela reportagem. Gostaria so de acrescentar que no Gas Station, quando tem um funcionario que coloca a gasolina pra gente, principalmente no inverno e as Cleaning Ladys no fim do ano, na vespera do Natal tambem ganham o valor de uma arrumacao na casa. Se ganha $100 por semana daquela casa na samana de Natal ganha $200.E ai vai…Se a gente mora no Canada, ganha o dinheiro do Canada entao tem que ter a educacao do Canada.Nao esquecendo que aqui nos temos Direitos e Deveres,e quem quizer mudar de vida e ficar mais educado, aproveita a reportagem da Marina….ehhhh menina educada! Vc escreve muito bem! Vc vai longe, menina!

  13. Mauricio

    22/nov/2010 at 19:01

    Matéria interessantíssima! Principalmente para aqueles que estão se aculturando por aqui.
    Mariana, fiquei muito impressionado com a qualidade da sua matéria e seu potencial em comunicação. Parabéns!

  14. mauri

    22/nov/2010 at 18:42

    otima materia parabens, teria muito a dizer sobre o assunto pois trabealhein no metier durante 18 anos, tanto na cozinha como garcon de mesa e barman, primeiro tm que se ententerder o tipo de estabelicento que voce esta frequentando, pois se voce esta sendo atendido por pessoas que fazem este tipo de trabalho por falte de escolha, como existen varias garotas que acham que merecem gorjetas pois seus jeans sao mais justos, e o decotes baixos 10 % e justo, pois exitem varios profissinais do ramo , eu pessoalmente sou exigente na qualidade do servico, pois ver um garcon ou garconete correrem desesperadamente de um lado ao outro nao e sinal de qualidade,
    Quanto aspessoas que acreditam que as gorjetas deviriam serem repassadas pelos proprietarios de restauntes e bares, nao ententeden os custos, e a pequena margem de lucro que ha neste tipo de buzziness;
    no entanto gorjeta e imperativo

  15. L. Santos

    22/nov/2010 at 17:40

    Gostei da matéria, mas eu acho q se continuarmos pagando gorjetas de 2 , 10 , ou 20 dolares q seja, só estaremos ajudando ainda mais aos donos de restaurantes, bares e outros serviços a pagarem cada vez mais esses salarios miseraveis a seus funcionarios, portanto eu acho q o erro nao esta na quantidade de dinheiro paga na gorjeta ou em quem paga somente o q consome, na minha opinião quem deveria rever, ou seja renovar seus conceitos e ter um pouco mais de consideraçao ao funcionario com certeza deve ser os patroes q querem tudo somente para eles, e nao pensam em quem faz o estabelecimento ou qualquer q seja o serviço funcionar.

  16. Dimitri Kozma

    22/nov/2010 at 16:03

    Bom texto! Parabens! Achei bastante interessante.

    Porem nao concordo com ele. Acho um absurdo pagar gorjeta por alguns servicos, o que eles tem de diferente dos outros? Porque tem essa vantagem que outros nao tem?

    Sou designer, e se eu faco um otimo servico com meu trabalho, o cliente me paga o que foi acertado e no maximo agradece. Porque tenho que pagar a mais do que ja esta sendo cobrado? Porque eles ganham pouco? Entao a culpa e do restaurante, que cobra muito e nao repassa ao funcionario, nao do cliente, que ja paga caro.

    Aqui em Vancouver nunca paguei e nunca fui hostilizado por isso. Se ir dia for, vou retrucar e nao vou pagar.
    Dou valor ao meu suado dinheiro. Pago o que me e’ cobrado.

    Desculpem, mas e’ minha opiniao. Nao pago gorjeta e sou terminantemente contra esta mentalidade.

    Parabens pelo site!

    Abs
    Dimitri

  17. Sergio Sandri

    22/nov/2010 at 16:01

    Otima materia!

    Ahhh… Agora entendi pq o motorista de taxi nao falou “Have a nice night” e saiu cantando os peneus… ;-)

  18. Pedro

    22/nov/2010 at 15:06

    Oi Marina!

    Achei o assunto muito bem escolhido! Eu mesmo já tive várias dúvidas de quanto dar de gorgeta para contas de valor “baixo” e sua matéria explica muito bem isso, além das alternativas para “baratear” a tip.

    Parabéns
    Pedro.

  19. josie

    22/nov/2010 at 14:27

    Marina, gostei da materia.
    Creio que na primeira semana muitos brasileiros desconhecem o significado e qual a razao de se dar “tips”, mas depois desse periodo, nao se da gorgeta por se fazer de desentendido.
    No Brazil se da’ gorgeta, em alguns lugares, porque ja se vem incluso na conta, se nao…nao se daria, para muitos isso he uma “grande exploracao”. Nao concordo, creio que he valorizar aquele que esta dando o melhor.
    Infelizmente muitos nao veem o tips como ajuda ao trabalhador que ganha pouco, mas sim como exploracao na hora de pagar a conta. Meu marido ja trabalhou nos EUA e o tips de la ehe muito mais GORDO, mais educado e mais recolhecedor do trabalhor humilde.
    Realmente nos brazileiros deveriamos copiar muito mais as coisas boas dos paizes de primeiro mundo, para sairmos da nossa posicao de terceiro…

  20. Thásia Magalhães

    22/nov/2010 at 13:50

    Parabéns! Excelente! Gostei principalmente da tabela de gorjetas. Quando chegamos aqui já sabíamos da importancia de dar gorjetas, mas fomos pegos de surpresa no salão… ainda bem que onde fomos saiu impresso no canhoto do cartão. Abraços!

  21. Rosa da Silva

    22/nov/2010 at 11:33

    Marina
    Também gostei muito de teu texto, claro e muito bem escrito. Eu já moro aqui há anos mas vejo muito que se fazem de desentendidos na hora da gorgeta. Um beijo

  22. Julimarquiteto

    22/nov/2010 at 11:25

    É muito bonito falar nestas gorjetas quando se ganha bem.

    Mas a grande maioria dos imigrantes não ganha TÃO bem para ficar “distribuindo” moedas de C$2, como se não valessem nada.

    Me perdoem pela sinceridade, mas aqui se trabalha por pouco, com NENHUMA valorização da experiência adquirida no seu passado no EXTERIOR e sem NENHUM direito trabalhista ou benefício (auxílio transporte ou alimentação, por exemplo).

    Seria muito bom o Canadá começar a ter mais consideração pelo imigrante.

  23. Edward Passos

    22/nov/2010 at 11:12

    Muito bem escolhido o tópico, Marina. Muito bem escrito!
    É sempre bom conhecer a cultura do lugar onde estamos vivendo, e sem dúvida, “tipping” é uma realidade no dia a dia do Canadense. Muita gente depende disso para completar o orçamento…
    Para nós, Brasileiros, no início é estranho ter que acrescentar algo à conta, já que lá no Brasil é automaticamente adicionado quando recebemos a nota. Isso faz parte da adaptação à nova cultura e jeito de viver dessa sociedade.
    Muito bem explicado e excelente radação. Parabéns!

  24. Luanda Jones

    22/nov/2010 at 01:34

    Muito legal esse tópico Marina!
    Não é uma lenda e nem tão pouco um preconceito dos restaurantes e bares daqui que dizem que brasileiro quase nunca dá uma boa gorjeta.
    Acredito que parte dessa mancada é por pura falta de informação.

    Quando cheguei em Toronto não tinha a mínima idéia sobre esse assunto, fui aprendendo ao levar bronca de amigos. (Como assim, vc não deixou tip????)
    ;0)

    É sempre bom informar pra não haver erro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Cultura

Posts Populares

Topo

Send this to a friend

Oi!

Acho que você pode gostar dessa página:

Mais que uma gentileza
https://oicanada.com.br/12374/mais-que-uma-gentileza/