Siga-nos

OiCanadá

Papelada

Canadá quer trazer mais de 300 mil imigrantes em 2016

Pela primeira vez em décadas, o Canadá está caminhando para receber mais de 300 mil novos residentes permanentes no período de um ano, conforme a nova meta para imigração anunciada na última terça-feira pelo governo Liberal.

De acordo com o ministro da imigração John McCallum, o Canadá planeja aceitar entre 280 e 305 mil –com uma meta de 300 mil– novos residentes permanentes em 2016. Em 2015, o Canadá recebeu 279.200 imigrantes. Se o governo alcançar seus objetivos, será um marco, pois terá recebido mais de 300 mil imigrantes no período de um ano desde 1913.

Os imigrantes da corrente econômica –como caregivers, provincial nominees, skilled workers– vão continuar constituindo a maioria dos recém-chegados, mas o número total dessa corrente vai diminuir se comparado aos anos anteriores. Isso porque os Liberais estão aumentando significantemente as vagas disponíveis para programas de reunificação familiar e refugiados.

O Canadá aumentou bastante o número de vagas para refugiados, de 24.800 em 2015 para 55.800 em 2016. A maioria dos novos refugiados serão da Síria, conforme o compromisso cumprido pelo governo de trazer 25.000 refugiados sírios até o fim de fevereiro. Milhares ainda estão por vir até o final do ano.

O governo também tem como objetivo receber 80.000 imigrantes através do programa de reunificação familiar esse ano, ao invés de 68.000, como em 2015. A maioria dos familiares –60.000– serão cônjuges e filhos, enquanto as 20.000 vagas restantes serão destinadas a pais e avós. Apesar dos Liberais terem anunciado recentemente um aumento de 5.000 para 10.000 imigrantes nessa categoria, eles esperam poder aceitar até 20.000.

No entanto, o aumento nos números para os programas de reunificação familiar e refugiados chega às custas de cortes na corrente de imigração econômica. O governo planeja receber 160.600 imigrantes econômicos esse ano, menos do que os 181.300 recebidos em 2015.

“Não entendo o corte na corrente econômica de imigração, dado o fato de que a economia canadense está devagar e nossa força de trabalho envelhecendo. Também acho que o governo precisa explicar como vai oferecer programas e serviços –e pagar por eles– para os refugiados que estão tentando atrair através desse aumento no programa,” disse a critica de imigração Conservadora Michelle Rempel.

Para consultar uma tabela completa com os números de cada categoria e subcategoria, visite esse link.

Continue lendo
Publicidade
Leia também...
Fernanda Thiesen

Fernanda é carioca, publicitária, co-fundadora e editora-chefe do OiCanadá, e web designer no SiteToaster.co. Imigrou para o Canadá no final de 2006 e se tornou cidadã canadense em 2011.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Kelly

    10/mar/2016 at 20:39

    Provavelmente usando os novos imigrantes como mão de obra barata, gerando mais trabalho e aumento de gastos e consumo, produzindo mais impostos a serem pagos aos cofres públicos, para sustentar a minoria senil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Papelada

Receba as novidades do blog por email

Digite seus dados abaixo para assinar nosso boletim e receber todas as novidades do blog em sua caixa postal. É de graça e você pode se descadastrar a qualquer momento.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
Topo