Siga-nos

OiCanadá

Moradia

Os problemas das casas usadas para cultivar Cannabis

A colunista Rosa da Silva fala sobre um problema que tem aumentado muito no Canadá, que são as propriedades que foram utilizadas para o cultivo de Cannabis e colocadas à venda após serem desocupadas. São casas e apartamentos que podem revelar segredos e defeitos daqueles de causar uma boa dor de cabeça para os novos moradores.

Grow houses ou grow operations (grow ops) são termos usados para descrever as propriedades que são utilizadas para o cultivo ilegal da planta Cannabis, da qual se produz o haxixe e a maconha (marijuana). Enquanto residências são mais comumente usadas, principalmente as grandes com basement inacabados e entrada interna pela garagem, os grow ops também podem ser encontrados em prédios comerciais e industriais, bem como em edificios residenciais e em garagens. Além disso, também podem ser encontradas em fazendas e até no fundo do quintal de residências, isso durante o verão quente e úmido.

Equipamentos, sementes e/ou mudas das plantas são geralmente levados pela garagem para um laboratório de hidroponia já previamente montado no basement da residência. Para se ter uma idéia, numa casa de uns 2.200 pés quadrados, um basement pode abrigar cerca de 400 plantas que podem atingir a maturidade em cerca de três meses. Para amadurecer com esta rapidez, é necessário alimentar as plantas com muito fertilizante, manter um ambiente bem quente e úmido. Como isso, demanda uma grande quantidade de energia (eletricidade ou gás), e os operadores da plantação têm métodos sofisticados de contornar os medidores de luz, gás e água. Eles também costumam abrir buracos no piso, forro e telhado para retirar o excesso de humidade gerada pelo crescimento destas plantas.

Problemas

Na maioria das vezes, estes imóveis acabam sendo colocados à venda assim que são desocupados, seja porque a polícia prendeu os operadores ou porque estes se mudaram. A pessoa que está vendendo, seja ela um realtor ou o proprietário, deve divulgar claramente que este imóvel foi usado como uma grow house, pois, afim de que este se torne habitável, esta requererá um extensivo trabalho de limpeza e muita reforma.

Os potenciais problemas associados com a compra ou venda de um antigo grow op são, além de deficiência estrutural, perigo de incêndio e riscos para a saúde como resultado dos fertilizantes químicos utilizados para cultivar as plantas e da umidade em excesso que gerou mofo, muitas vezes escondido atrás das paredes de drywall.

Fique atento

Porém, como infelizmente pode acontecer que alguém, por negligência, inocência ou até má fé não divulgue que o imóvel foi utilizado para o cultivo de Cannabis, o novo proprietário deve ficar atento aos sinais típicos que denotam que o imóvel foi usado para este fim. Alguns sinais incluem: mofo nas quinas das paredes e do teto; um grande número de orifícios no telhado; piso do basement e ou da garagem cobertos com marcas circulares (feitos pelos vasos das plantas); evidências de adulteração no medidor elétrico (selos danificados ou quebrados) e fiação modificada no exterior da casa; alterações no interior da garagem; muitos furos nas paredes que seguem um padrão; alteração em lareiras; sinais de que a porta da frente foi arrombada (provavelmente pela polícia).

Além disso, um imóvel que foi usado para cultivar Cannabis também podem ter estas características: foi adquirido há no máximo um ano atrás e já estão vendendo; pode-se notar alterações internas, como por exemplo, uma parede falsa erguida a poucos centímetros de uma janela, a qual foi usada para montar uma espécie de vitrine com uma mesinha e abajur, para dar uma falsa ilusão de que é uma sala de estar; buracos no chão ou no teto, que foram reparados e pintados de novo; sótãos com excessivo isolamento e com alto teor de umidade; manchas coloridas de umidade em paredes e pisos; alteração em chuveiros e banheiras (para regar plantas); ferrugem no furnace (forno de calefação) e no revestimento de chaminés e forte cheiro de produtos químicos ou fertilizantes.

Muitos destes fatores podem passar despercebidos aos não treinados olhos de um comprador. É muito importante proteger-se optando por fazer uma home inspection com um profissional qualificado, pois ele poderá lhe revelar fatos e defeitos que você nunca veria. Havendo qualquer suspeita de que o imóvel possa ter sido usado como uma grow house, o seu realtor pode ligar para a polícia e indagar a respeito. A polícia não divulga ou publica uma lista por causa da lei da privacidade canadense, mas pode confirmar se indagada.

Continue lendo
Publicidade
Leia também...

Rosa da Silva foi representante comercial de várias multi-nacionais no Rio Grande do Sul. Desde sua chegada ao Canadá, acompanhando o marido transferido pela empresa em que trabalha, pensou em trabalhar com compra e venda de casas (real estate). Rosa fez curso para se tornar corretora de imóveis, e após as dificuldades que encontrou em comprar sua primeira casa no novo país, resolveu iniciar um blog em português, o www.casanocanada.com para tentar ajudar a outros brasileiros a entender este complexo e diferente processo da compra da casa própria aqui no Canadá. Rosa possui também um site em inglês, o www.rosadasilvarealestate.com.

4 Comentários

4 Comments

  1. ac

    04/abr/2011 at 16:02

    Fora os danos causados nas residencias, sou a favor do cidadão poder ter sua meia dúzia de plantas.
    400 plantas é pra vender, e vender não ta com nada!!!

    Parabéns pela matéria

  2. Jorge

    19/nov/2010 at 11:39

    Nota: Cannabis e maconha são a mesma coisa. Haxixe é a resina da planta que é coletada e prensada.

    Não se “produz” maconha. Maconha é a própria planta.

    • Rosa da Silva

      22/nov/2010 at 15:45

      Excelente contribuição Jorge, obrigada. Espero que este “porém” não tenha te impedido de entender a mensagem principal de meu texto.Um abraço, Rosa

  3. Paola

    06/nov/2010 at 10:38

    otima materia, Rosa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Moradia

Posts Populares

Topo