Siga-nos

OiCanadá

Cultura

A história do Canadá através de suas moedas

Todos os países possuem sua própria economia e, grande maioria deles, uma moeda única. Assim como o Brasil tem o Real, a Argentina o Peso e os Estados Unidos o Dólar Americano, o Canadá tem o Dólar Canadense. Porém, as moedas canadenses dispõem de uma curiosidade: cada uma possui um nome diferente, específico. Abaixo, você vai conhecer um pouco mais da cultura e da história canadense através de suas tradicionais e exóticas moedas.

A primeira delas está nessa lista apenas por respeito e nostalgia, pois tem sido gradualmente retirada de circulação desde 2012. A moeda de um centavo, o cent, é conhecida como penny no Canadá e trás uma folha de bordo (Maple leaf), um dos símbolos oficiais do país, em uma das faces. A moeda tem sido removida do mercado aos poucos durante os últimos dois anos devido ao fato que seu custo de produção é mais alto que seu valor monetário: cada penny custa 1,6 centavos ao Governo.

O nickel, como é chamada a moeda de cinco centavos, tem uma superfície prateada e trás um castor (animal oficial do Canadá) sentado em um tronco como insígnia. O nickel é assim chamado pois, em 1922, quando foi inserido formalmente como moeda canadense, tinha 99,9% de seu corpo constituído pelo metal níquel. Antes dessa data, a moeda de cinco centavos era conhecida como fish scale (escama de peixe). Com o fim da produção do penny, os cinco centavos canadense passou a ser a moeda de menor valor no país.

Uma característica das moedas canadenses é que todas elas, do penny ao toonie (sobre o qual falaremos mais adiante), trazem em uma de suas faces a imagem em perfil da Rainha Elizabeth II, monarca do Reino Unido e regente da Comunidade Britânica de Nações, grupo do qual o Canadá faz parte. God save the Queen.

A moeda de dez centavos é a menor de todas as moedas em termos de dimensão. Comumente conhecida como dime, nome originário da palavra francesa dîme, que significa décimo, ou a décima parte de um inteiro, a moeda possui a imagem do Bluenose, famoso barco pesqueiro canadense dos anos 20 vencedor de diversas corridas, impressa em um de seus lados.

A mais comum e com maior circulação das moedas canadenses é a de vinte e cinco centavos, ou quarter como é popularmente conhecida. Com uma rena (outro animal simbólico do país) do lado inverso ao lado com a face da Rainha Elizabeth II, o quarter é a moeda que possui mais variações em sua insígnia. Em 2004, por exemplo, uma moeda foi forjada em homenagem ao Remembrance Day – dia em que os canadenses relembram os soldados mortos durante a Primeira Guerra Mundial. Ela trazia uma flor de papoula, emblema do movimento, na face onde a rena é originalmente encontrada. Outras moedas foram criadas em glória a diversos motivos, como o 100th aniversário da Polícia Montada Canadense Real, o 65th aniversário da Segunda Guerra Mundial e a Medalha de Bravura.

Trazendo o brasão das Forças Armadas Canadenses, a moeda de cinquenta centavos é a mais rara entre as moedas em circulação no país por conta de sua baixa produção anual. Popularmente chamada de half dollar (metade de um dólar), essa peça de prata foi a primeira moeda a ser forjada em solo canadense, em 1908. Ela é tão rara em transações monetárias que, quando aparece, até mesmo bancários questionam a legitimidade da peça. Existem duas versões de moedas comemorativas para esse valor: uma que trás um lobo uivando e comemora o centenário canadense, criada em 1967, e outra que possui um jubileu de ouro em comemoração ao 50o aniversário do reinado da Rainha Elizabeth II, concebida no ano de 2002.

Única moeda que não tem a prata como tom predominante em sua coloração, a moeda de um dólar, o loonie, é dourada e traz a imagem de um loon, ave de olhos vermelhos da família dos mergulhões. Esse tradicional animal, geralmente encontrado na região dos grandes lagos, faz parte de diversas lendas das tribos de nativos norte americanos. Uma delas, inclusive, cita que o animal foi o responsável pela criação do mundo.

Em 2002, um dos responsáveis por construir as quadras de gelo para os jogos de hockey das Olimpíadas de Inverno de Vancouver, Trent Evans, colocou uma moeda de um dólar no gelo depois de perceber que não havia nada que marcasse o centro da quadra, que se tornou o famoso Lucky Loonie. Um pequeno ponto amarelo foi pintado sobre a moeda, mas, observando de perto, ela ainda era visível através da tinta. Evans revelou a existência da moeda apenas para algumas pessoas, entre elas os atletas das equipes feminina e masculina de hockey. Ambas equipes conquistaram a medalha de ouro.

Vários membros da equipe feminina beijaram o local onde a moeda fora depositada, depois do jogo final. Após a vitória do time masculino, a moeda foi removida do gelo e doada ao Hall da Fama do Hockey Canadense. Desde então, a Casa da Moeda do país tem lançado uma edição especial da moeda para cada edição dos Jogos Olímpicos.

Por fim, a moeda de dois dólares canadenses, o toonie, que tem como totem um urso polar chamado Churchill – referência à Winston Churchill, herói de guerra e ex-Primeiro Ministro da Inglaterra. O nome toonie vem da junção das palavras two (dois, em inglês) e loonie (como é conhecida a moeda de um dólar). Lançada em fevereiro de 1996, a moeda é a única a ter duas cores em sua composição, a prata e o dourado. Desde o seu lançamento, a moeda já recebeu algumas versões comemorativas, como uma insígnia com três árvores estilizadas, um pássaro e um homem, em homenagem à Floresta Boreal que cobre mais da metade do território canadense, e a edição comemorativa à Guerra de 1812 entre Estados Unidos e Reino Unido, grupo do qual o Canadá fazia parte na época.

Como podemos ver, é possível aprender muito sobre a cultura e a história de um país através de suas moedas. Então, da próxima vez que topar com uma moeda canadense de cinquenta centavos, guarde-a e considere-se um sortudo.

Gaúcho, nascido na cidade de Triunfo, Felipe é estudante de jornalismo da Unisinos e veio a Toronto em busca de novos desafios. Com experiência em mídia impressa e online, ele tem um estilo descontraído de escrever e levar a vida.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Cultura

Posts Populares

Topo