Siga-nos

OiCanadá

Moradia

Sistema informa quanto custa em média um imóvel em Toronto

Muita gente tem dúvidas sobre qual é a melhor área em Toronto para se comprar uma residência. Alguns fatores ajudam na escolha da casa própria, como a proximidade com boas escolas, transporte público e supermercados. Porém, o preço do imóvel é fundamental, e por isso é bom ficar atento para não comprar “gato por lebre”.

Toronto é uma cidade com excelentes bairros. Difícil é escolher qual deles é o melhor para se viver. Tudo vai depender, é claro, do gosto do cliente. Para quem gosta de morar perto da praia, o Beaches é o lugar ideal. Se você quer viver perto de uma boa universidade, o Annex seria a melhor escolha (bem próximo da Universidade de Toronto). As pessoas com um estilo mais alternativo ficariam satisfeitas com a Queen West, Kensington Market ou Church-Wellesley Village. Existem ainda os bairros mais afastados, como Richmond Hill, Etobicoke, Scarborough e Markham, bons para quem quer criar os filhos nos subúrbios.

O grande dilema é encontrar nos bairros da cidade uma boa casa ou apartamento com um preço que “caiba no seu bolso”. Por isso, o CREA (uma associação de consultores imobiliários no Canadá), junto com outras instituições do mercado imobiliário do país, lançou recentemente em algumas áreas do Canadá, incluindo a Grande Toronto, um sistema que visa a fornecer ao consumidor uma ideia mais precisa de quanto custa em média os imóveis em cada região. Para a pesquisa foram levados em conta fatores referentes ao tamanho da residência, número de cômodos e as facilidades encontradas na área, como a proximidade com praças, escolas e transporte público.

Segundo a brasileira Rosa da Silva, agente imobiliária da Coldwell Banker RMR, o principal benefício do novo sistema de referência de preço está em proporcionar ao comprador uma ideia de valor mais apurado dos imóveis. “Além de estar levando em consideração a localização e o estilo da casa, como a quantidade de quartos e banheiros, o sistema oferece dados mais específicos. Uma casa que não tem o ‘basement’ acabado, por exemplo, vale menos que aquela que tem a construção finalizada. O consumidor vair poder ter acesso a algo mais detalhado”, afirma Rosa ao OiCanadá.

O novo sistema do CREA criou um novo índice de preços (semelhante ao que é usado para medir a inflação), onde foi traçado um comparativo dos preços em relação a janeiro de 2005. Toronto é considerada uma das cidades do Canadá com o custo de vida mais alto. Nos últimos anos houve um aumento de mais de 50% no valor do imóvel. Uma casa simples com quintal chega a custar mais de $600 mil, correspondendo a cerca de $100 mil a mais do que no resto do país.

“O fato de Toronto ser a maior cidade do Canadá e ter uma maior oferta de emprego comparada a outras cidades faz com que haja uma grande procura por imóveis, o que contribui para o alto preço. É a lei da oferta e da procura”, explica Rosa. “Uma área como Durham (situada na Grande Toronto), por exemplo, é mais barata porque não há tanta procura e oferta de emprego como em Mississauga ou em Toronto”.

Os economistas acreditam que o preço dos imóveis em Toronto deve se estabilizar até o final do ano. Portanto, segundo Rosa da Silva, os juros no momento estão baixos, o que facilita a compra da casa própria. “O que existe é uma previsão de que os preços devem se estabilizar a partir do segundo semestre desse ano, mas isso é volátil e não existe nenhuma garantia. As taxas estão ótimas no momento, o que é muito importante para o comprador, e a gente não sabe até quando vão permanecer baixas”, enfatiza Rosa. “É importante não deixar para a última hora para escolher o imóvel e ter a ajuda de um profissional competente que vai poder informar ao cliente se o preço cobrado pela casa está correto”.

No momento, além da Grande Toronto, as áreas do país que possuem esse sistema são Calgary, Grande Montreal, Grande Vancouver e Fraser Valley. Segundo o CREA, até o final do ano que vem, outras regiões do Canadá serão incluídas na pesquisa. Para mais informações, visite o site do MSL Home Price Index.

Continue lendo
Publicidade
Leia também...

Marcio Rollemberg é pernambucano e formado em jornalismo. Foi editor-chefe de um telejornal universitário, produziu documentários e trabalhou como repórter de TV no Brasil. Em 2005 mudou-se para Toronto e atualmente é um dos colaboradores de uma revista e de um canal de TV. Em 2011 juntou-se a equipe do OiCanadá, onde escreve matérias sobre Turismo e Variedades.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Marilia Lana

    20/fev/2012 at 11:01

    Excelente artigo. Muito claro e útil.
    Parabéns.

    Marilia Lana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Moradia

Posts Populares

Topo