Siga-nos

OiCanadá

Lazer

Montreal, a capital mundial do hockey

A paixão dos montrealenses pelo hockey é comparável com a euforia dos brasileiros pelo futebol. É bem parecida, pra não dizer igual. Durante a temporada, a cidade se transforma aos poucos. Nos primeiros jogos apenas quem passa perto do local da disputa nota uma movimentação maior mas, à medida que os playoffs se aproximam e as chances de título aumentam, Montreal se agita. Prédios do centro se iluminam de azul, vermelho e branco; bares ficam lotados para esperar as transmissões; gritos e comemorações são ouvidos nas ruas.

E eles têm motivos para essa dedicação toda: o esporte foi inventado em Montreal, a NHL foi fundada em Montreal, e o time mais vezes campeão é o de Montreal. Então, para me ajudar a conhecer melhor o esporte, eu pedi a meu amigo Matteo Ortuso, canadense nascido em Montreal na terceira geração de uma família de imigrantes italianos e fanático pelo esporte, para ser meu guia num passeio pelo Hall da Fama do Montreal Canadiens, o time local.

Go, Habs!

O museu fica no Bell Centre, ginásio onde os Habs (apelido do time, que vem da abreviação de les habitants, ou os habitantes, expressão usada para identificar os primeiros colonos franceses do Canadá) mandam seus jogos. O Hall da Fama conta, em quase mil metros quadrados, os mais de 100 anos de história do time.

O Montreal Canadiens foi fundado em 1909 e já ganhou 24 vezes a Stanley Cup, taça da NHL – National Hockey League (liga de hockey norte-americana). O Canadiens foi um dos seis times a fundar a liga, em 1917. Hoje, sete times canadenses e 23 americanos disputam o troféu.

Durante o passeio pelo museu é possível ver em exposição a evolução dos uniformes usados pelos jogadores, desde os primeiros equipamentos, que em nada se parecem com as proteções, capacetes, tacos e patins de hoje, até manequins em tamanho real de jogadores vestidos com o que existe de mais avançado em tecnologia esportiva. Há também uma réplica do vestiário usado pelo time no Fórum (ginásio usado pelos Canadiens antes da construção do Bell Centre, em 1996) e um vagão de trem que mostra como os times viajavam nos primórdios da NHL.

Através de uma linha do tempo em exposição no Hall of Fame, podemos conhecer os maiores ídolos da história dos Canadiens como, por exemplo, Maurice Richard. Maurice “The Rocket” Richard é considerado o maior ídolo do time. Ele jogou de 1947 a 1960 e marcou 544 gols, ganhando nove vezes a Stanley Cup para o time de Montreal, onde jogou durante toda a carreira. Quando ele morreu em 2000, aos 79 anos, mais de 100 mil pessoas foram ao velório no Bell Centre prestar as últimas homenagens.

Depois da visita e de conhecer mais sobre a história dessa paixão de Montreal pelo hockey, eu fiquei interessada em saber mais sobre o esporte em si, as regras, o campeonato. Então, vamos lá!

As regras do hockey

O objetivo do hockey é o mesmo do nosso futebol: marcar gols (score ou pontos, como eles chamam por aqui). As partidas possuem a duração de 60 minutos distribuídos em 3 períodos de 20 minutos cada. Esse tempo pode ser parado a qualquer momento, caso haja alguma penalidade. Cada vitória dá ao vencedor 2 pontos na tabela de classificação. Quando as equipes empatam no tempo regulamentar, há a disputa de uma prorrogação (overtime) de 5 minutos com morte súbita (quem marcar primeiro vence). Caso ninguém marque um gol, há a disputa de pênaltis (shootout). A vitória na prorrogação ou nos pênaltis garante ao vencedor 1 ponto na tabela de classificação.

As 30 equipes da NHL são dividas em duas conferências: os times do Leste (East) e Oeste (West). Após disputar 82 partidas durante a temporada regular, que vai de outubro a abril, os 16 melhores times (8 de cada conferência) disputam a pós-temporada (playoffs), onde se enfrentam duas a duas, em combates de melhor de 7 jogos, ou seja, quem vencer 4, passa para o confronto seguinte até chegarmos às duas melhores equipes, que disputarão a Stanley Cup.

As brigas

É, isso mesmo, brigas! Quem já teve a oportunidade de assistir a um jogo de hockey, mesmo na televisão, pode perceber logo que os jogadores partem pra briga e, mais interessante ainda, que os juízes nada fazem para separar os “esquentadinhos”. Mas isso tem uma explicação: as brigas fazem parte das regras do jogo, no melhor sentido “não levar desaforo pra casa”.

Tanto fazem parte das regras, que são regulamentadas. Nos confrontos não é permitido o uso dos tacos, não pode chutar com os patins e os jogadores do banco de reservas não podem invadir a quadra e participar da confusão. Além disso, os dois brigões têm que concordar com a disputa – geralmente as luvas e os tacos são jogados no  gelo para demonstrar que uma briga vai começar. Os juízes só interferem caso algum dos jogadores caia ou perca o capacete. Como parte da regra, os envolvidos recebem uma punição leve e passam alguns minutos no banco para esfriar a cabeça.

Como visitar o Hall of Fame

Endereço e Contato

Horário de Funcionamento

  • Terça a Sábado das 10h às 18h
  • Domingo das 12h às 17h
  • Em dias de jogos, consultar horários especiais

Preços dos ingressos

  • Adultos (17 anos ou mais) $11
  • Idosos (mais de 65 anos) $8
  • Jovens (de 5 a 16 anos) $8
  • Crianças abaixo de 4 anos – gratuita
  • Família (2 adultos e 2 crianças) $34
  • Dia de Jogo (necessário apresentar ingresso para o jogo) $6

Júlia é formada em Jornalismo pela Universidade Federal da Bahia e tem mais de 5 anos de experiência com Assessoria de Imprensa e textos para publicações e sites corporativos. Veio para Montreal em março de 2012 e se apaixonou pela cidade! Atualmente, ela faz cursos de extensão em Jornalismo na Universidade Concordia.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Lazer

Posts Populares

Topo