Siga-nos

OiCanadá

Notícias

Pesquisa coloca cidades do Canadá entre as menos estressantes do mundo

O levantamento comparou dados entre 100 cidades de peso do mundo, analisando 15 fatores que têm tudo a ver com o nível de estresse que seus habitantes podem experimentar. E o resultado foi muito positivo para o Canadá.

Uma empresa de Berlim bancou a verificação, passando um pente fino, primeiro, em 500 cidades e uma vasta lista de dados. No entanto, a equipe logo descobriu que muitos municípios não tinham informações confiáveis e passíveis de comparação. E foi assim que o estudo terminou com 100 cidades.

A análise levou em consideração vários itens que influenciam o nível de estresse das pessoas e revelou que os endereços mais tranquilos do mundo estão em Reykjavik, na Islândia. Na sequência vêm Berna na Suíça, Helsinki na Finlândia, Wellington na Nova Zelândia, Melbourne na Austrália, Oslo na Noruega, Copenhagen na Dinamarca, Innsbruck na Áustria, Hannover na Alemanha e Graz de novo na Áustria fechando o décimo lugar.

Canadá, Brasil e a cidade mais estressante

A melhor pontuação canadense ficou com Montreal que surgiu na 12a posição, sendo ainda o município como melhor desempenho de todas as Américas. Vancouver apareceu bem distante, ocupando o posto de número 29 e com Toronto logo na sequência. Já o Brasil foi representado pela cidade do Rio de Janeiro conquistando a posição 67 com São Paulo logo atrás dela. Já a cidade mais estressante dentre as 100 nomeadas pelo estudo foi Mumbai, na Índia.

Que dados entraram na compilação

No total, foram quatro áreas de análise: Governança, Cidade, Finanças e Saúde.

O item Governança foi composto por uma mescla de dados sobre mortes naturais, perdas econômicas, impacto na renda per capita, extremos climáticos, homicídios e outros crimes. Contou também com informações sobre a segurança da infraestrutura física e de comunicações da cidade, os riscos de conflitos de porte, a vulnerabilidade socioeconômica do país, o nível de iniquidade, o número de mortes causadas pelo trânsito, presença de desastres naturais (inclusive secas e enchentes) e até mesmo a percepção dos moradores em relação à sua integridade física. 

Outros componentes deste item estão relacionados à participação popular no processo de escolha do governo, a liberdade de expressão e de associação e a independência da mídia, a presença ou não de atividade terrorista e/ou de outros tipos de violência ligados a causas políticas, a capacidade do governo de fomentar a iniciativa privada, a confiança dos cidadãos no sistema judiciário e nas leis, o controle da corrupção e a presença de um governo que represente não apenas a elite. 

E, finalmente, o nível de equidade de direitos entre homens e mulheres em termos de economia, trabalho, sociedade e saúde, além do grau de oportunidades políticas, religiosas e legais disponíveis para as minorias em termos gerais.

Cidade, Finanças e Saúde 

Na categoria Cidade foi avaliada a densidade demográfica (pessoas/km2), os níveis de congestionamento do trânsito, o número de horas de sol por ano, a quantidade anual de chuva, o número de dias com temperaturas abaixo de 0°C e acima de 30°C, e a poluição sonora, luminosa e do ar. Já em Finanças a pontuação reflete a taxa de desemprego, o que sobra no bolso das pessoas após o pagamento de impostos e de moradia, e o custo de vida da cidade em comparação com o resto do país.

A existência de serviços de seguridade social e de apoio também entrou nesta categoria, sendo mensurada levando em conta a porcentagem da população acima da idade de aposentar e recebendo aposentadoria, a porcentagem dos cobertos pelos benefícios do sistema social de proteção a porcentagem de desempregados recebendo auxílio desemprego, e a porcentagem do GDP gasto no sistema de saúde público, o coeficiente Gini para medição da iniquidade de renda e riqueza.

Foram medidas na categoria Saúde a prevalência de problemas sérios de fundo depressivo, o acesso, qualidade e satisfação do sistema de saúde assim como uma análise da resposta governamental à pandemia associada ao número de casos e mortes por COVID-10 per capita.

Confira a tabela completa e mais detalhes sobre a metodologia aqui.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Notícias

Topo