Siga-nos

OiCanadá

Experiência

Uma caixinha de surpresas chamada host family

Você só saberá o que lhe espera em relação a sua homestay quando chegar aqui. Se não gostar da sua, terá a opção de alugar uma outra casa, ou pedir que o coordenador da escola te mude de família quantas vezes for preciso.

Uma das melhores alternativas para o estudante de intercâmbio é a homestay. Você paga menos do que se fosse ficar em um hotel, e ainda tem a chance de conhecer melhor os costumes do país. Pelo menos foi isso que eu li nos livros. Tratar do assunto homestay é curioso, porque todo mundo tem uma história diferente pra contar a respeito. A maioria é ruim e outras são realmente boas. Mas não tem como negar: todos, com raríssimas exceções, reclamam da comida.

Aqui existem host families que hospedam estudantes pra contribuir com a integração cultural, mas também existem famílias que fazem simplesmente por dinheiro. Pra você ter uma idéia, uma de minhas colegas de sala mora em uma casa de canadenses e ela compartilha todos os momentos com a família.

Por outro lado, conheço colegas que moram em uma casa com mais dez estudantes de intercâmbio, não podem fazer nada dentro de casa e ainternet tem horário controlado. Hoje, uma host family recebe do estudante C$750 (com café da manhã e jantar inclusos) por mês, mas este valor pode aumentar com as exigências, por exemplo, querer ficar perto do centro da cidade e do metrô, ou ficar com uma família de mesma nacionalidade que a sua. Os coreanos chegam a pagar C$1000 por esta “vantagem”.

Mamãe indiana

No meu caso, morei com uma família indiana. Logo que cheguei, fui recebida pela minha host mother, que me levou para conhecer meu espaço, um basement, que é uma espécie de porão da casa. Como as casas aqui são grandes, quase todas têm no subsolo um ambiente com quarto, sala e cozinha e a grande maioria coloca alavanderia da casa neste espaço. No início eu estranhei o ambiente, mas depois achei bom, porque percebi que ali eu teria total privacidade.

Achei interessante o cuidado que ela teve com alguns detalhes. O quarto realmente tinha tudo de que um estudante precisava. Eu tinha acesso à internet, não existia nenhum horário para chegar ou sair da casa. Só que é aquela história, eu não estava vivenciando a cultura do lugar. A única oportunidade de morar com estrangeiros era essa e eu não estava tendo. Eu não jantava com a família, principalmente porque minha host mother não me apresentou ao restante da família e eu pensei que poderia ser a cultura deles. Quando chegava em casa, a comida já estava na geladeira, ou na mesa. Eu costumava comer com a outra estudante da casa. A privacidade foi boa, mas em compensação, não houve integração com a família. Era como se eu tivesse alugado um apartamento.

Independência ou pimenta

Falando sobre comida, não fui uma exceção, ou seja, não gostei! Aliás, se você gosta de comida apimentada (spicy, em inglês), estará no lugar certo. Digo isso não porque morava com indianos, mas porque a comida no Canadá é bem apimentada.

No começo, essa questão da comida foi difícil. Mesmo depois da minha host mother parar de colocar pimenta, eu não conseguia me acostumar com os temperos e acabei perdendo bastante peso nos primeiros meses. Então entendi que precisava mudar de casa, e como gosto de cozinhar, resolvi alugar um apartamento, dividindo as despesas com outra estudante. Isso saiu bem mais barato!

Se sua opção for morar sozinho, consegui alugar um basement próximo do metrô por apenas $650, que divido com uma amiga. A comida aqui não é cara e os mantimentos você compra em family size (o que demora pra acabar). No centro da cidade tem açougues portugueses onde você pode comprar as carnes que já conhece por um ótimo preço. Hoje eu como minha comidinha brasileira e resolvi ter a integração cultural fazendo amigos.

Pisada na bola

Cometi um erro imperdoável! É tradição trazer um presente para a sua host family e isso é meio óbvio também, mas eu estava tão preocupada com outras coisas que acabei esquecendo. Depois, fiquei tão irritada a respeito da comida que não quis comprar nada por aqui também. Mas não faça como eu, traga uma lembrancinha pra sua família canadense (isso não significa que você terá tratamento VIP, é apenas pra manter a tradição).

Eu não posso dizer que minha estadia com a host family foi algo ruim, porque lá eu tinha tudo de que precisava, e isso me deu tempo pra poder conhecer a região e procurar algo melhor pra mim.

Curiosa por natureza e apaixonada por arte desde os primeiros passos, Élida sempre quis descobrir tudo que tinha por trás dos grandes resultados. Como sua personalidade não é ficar num único ponto, o jornalismo foi como uma porta que se abre para o novo todos os dias. “Nunca nenhum dia é igual ao outro; sem contar que passo conversar sempre com gente nova e interessante”, diz Élida. Pós-Graduada em Comunicação Corporativa. Nove anos de experiência no mercado de Comunicação, atuando como editora em revistas e apresentadora em programa televisivo no estado de São Paulo (Brasil). Chegou ao Canadá em 2009 e agora escreve para OiCanadá contando toda a experiência que o Canadá tem lhe dado.

12 Comentários

12 Comments

  1. antonia de fatima borges

    23/abr/2016 at 00:26

    Gostaria de hospedar intercambista em minha casa como faço?Moro nas proximidades da Usp e do metro

  2. Leticia

    27/jun/2013 at 00:50

    Adorei cada palavraa !
    Tenho muita vontade , mais ao mesmo tempo MEDO , de não me adaptar,da familia não gostar de mim ,etc,etc,etc …
    Tinha combinado até com uma amiga de fazermos juntas,mais na época ela não podia.
    Gostaria saber qual +/- o valor pra um intercambio como esse, e tenho inglês intermediário será que me daria bem ? haha
    Beijoo

  3. fausto

    15/Maio/2012 at 23:55

    Oi elida! Estava pesquisando no google sobre o canada e vi seu post. Eu gostaria muito de poder conversar com voce para entender melhor sobre o canada e como fazer para ir de vez.
    Teria como voce me dar seu email? Estou cheio de duvidas…

    Obrigado
    Fausto

  4. Vanessa

    27/jan/2010 at 13:42

    Boas dicas. Essa 'e minha terceira vez no pais e agora para ficar bastante tempo porque estou fazendo meu doutorado aqui.
    Discordo que a comida canadense seja apimentada. Nunca comi nada considerado canadense que fosse apimentado… Comida indiana sim, 'e muito apimentada. Aqui se encontra todos os tipos de culturas e comidas, pois Toronto 'e multicultural – muitos imigrantes!

    Tambem nao acho comida aqui barato… Toronto 'e uma cidade cara e alimentacao tambem. A dica 'e procurar supermercados mais baratos, como walmart e no frills ou os chineses, que sempre saem mais em conta. E evitar comer fora de casa frequentemente, pois isso pode fazer toda diferenca no orcamento no final do mes, alem de nao ser nada saudavel.

    Realmente, morar ao norte da cidade 'e mais barato, mas tambem mais distante do grande centro. Assim, 'e bom optar por viver perto das estacoes de metro.

  5. Julieta Jacob

    24/dez/2009 at 08:49

    Surpresa? Eu que o diga… a minha host family em Montreal não podia ser mais maluca… pra mim, o tempo máximo de convivência pacífica numa homestay (considerando que vc é um adulto e não um adolescente que precisa de uma “mãe” em outro país) é 1 mês. Daí pra frente, tudo pode acontecer e o destino normalmene se mostra bem maniqueísta: ou vira amor, ódio ou indiferença.

  6. Élida

    23/dez/2009 at 22:34

    Brites,

    Que ótimo saber da sua história! E o caminho que você usou foi o melhor, também: cara de pau e perguntar mesmo. Sucesso sempre, amigo!

  7. Élida

    23/dez/2009 at 22:28

    Olá… Fábio,
    Os meus amigos daqui que estão em casa de Italianos gostam muito da estadia. Italiano é aquela coisa que a gente conhece, sangue quente, gosta de conversar e isso a gente também gosta bastante. E a comida, se for uma bela macarronada tá perfeita, não é? Boa sorte pra você.

    Patrícia e Marta: host family é sempre uma caixinha de surpresa e é como você disse Patrícia, no final a gente sempre acaba aprendendo. Marta, muitos dos meus amigos estão construindo a mesma amizade que você conseguiu. Isso é o melhor.

    Leandro, você sabe que todo mundo que estuda comigo, seja brasileiro ou não trouxe alguma coisa. Um dos meus amigos que ja estava na host family, quando o novo estudante do Japão chegou, trouxe um presente até pra ele. Mas agora que você me disse que andou conversando com os canadenses e eles não se importam a respeito, eu fico um pouco menos sem graça com a minha pisada na bola.

    Abraços a todos e obrigada pelos comentários.

  8. Brites

    23/dez/2009 at 18:05

    É verdade amigos a comida é very very SPICY! EU SENTI NA ligua huahauauhau…
    Bah minha “familia” era um casa de canadenses e um jamaicano todos homens acima dos 30, muito independentes. Lá cada um tinah sua vida e horáriso bem alternativos no caso de socializar eu tinah de ficar “pentelhando” fazendo perguntas de tudo na maior cara d pau mas todoa eram gente fina e ensinavam na paz.
    Confesso que no 1º dia fiquei apavorado não sabi falar nada em ingles, cheguei até a me perguntar “Barbaridade que que eu to fazendo aqui!!!”.
    Depois de 30 dias no fim do intercâmbio eu não queria vir mais….
    Recomendo SEMPRE a todos essa experiência e quem está por ai APROVEITE IMENSAMENTE.
    Ótima coluna muito instrutiva e esclarecedora.
    Abraços!

  9. Martha

    23/dez/2009 at 13:31

    Talvez nao seja tradicao, mas sem duvida êh educação. E muitos dos canadenses são educados. Acho q não custa.
    Eu fiz intercâmbio no EUA em 98.
    E foi bem diferente, já q mudar de casa era praticamente impossível, só em casos extremos.
    La éramos parte da família e tínhamos q entrar nas regras da casa.
    Minha casa foi ótima e ate hj tenho contato com minha mãe americana.

    Adorei o post :)

  10. Leandro

    23/dez/2009 at 09:41

    Ola, otima materia, estou em toronto estudando.
    Bom estou com uma familia otima, a cidade eh uma beleza, mas nao concordo com voce quando voce fala que eh tradicao trazer uma lembrancinha.
    Conversei com alguns canadenses em Toronto e pelo que eles me disseram isso nao eh tradicao.
    Na verdade Brasileiro acha que eh tradicao pois no Brasil isso eh fazer um agrado.
    Pensei em trazer tambem, mas e ai se eu nao gostasse da familia ou se eles nao fosse com a minha cara ???
    Gastaria dinheiro!!!
    mas… Otima materia
    Abracos

  11. Patricia

    23/dez/2009 at 08:38

    Realmente às vezes temos sorte de pegar uma familia boa, as vezes não mas acho q faz parte e termina q aprendemos com isso. Tive amigas q sofreram com a comida, acomodação, distância enfim mas no final td deu certo. De qualquer forma é bom ficar sempre atento as familias.

  12. Fabio

    23/dez/2009 at 08:00

    ótima materia, estou indo dia primeiro e vou ficar na casa de uma familia italiana, espero que a comida seja melhor :p

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Experiência

Posts Populares

Topo

Send this to a friend

Oi!

Acho que você pode gostar dessa página:

Uma caixinha de surpresas chamada host family
https://oicanada.com.br/6135/uma-caixinha-de-surpresas-chamada-host-family/