Siga-nos

OiCanadá

Moradia

Homestay Toronto: Uma decepcionante experiência

Falta de sorte? Depois de passar um mês morando em uma homestay em Toronto, Rodrigo Schmiegelow conta por que não gostou da experiência.

Pode até soar um pouco estranho para os brasileiros, mas aqui tenho vivido em um porão. Traduzido para o inglês como basement, diferentemente do que imaginava, não são aquelas portas horizontais que abrem para cima e dão em um buraco escuro, cheio de bagunça e poeira. Os basements costumam ser bem espaçosos e são uma forma de aproveitar o espaço da fundação da casa, que frequentemente vira um quarto extra ou até mesmo um pequeno apartamento anexo.

Minha primeira experiência com moradia aqui em Toronto foi em uma homestay, vim do Brasil já com um mês de hospedagem contratado, período de adaptação em Toronto. Foi o bastante para que eu procurasse outro local mais em conta, já que a homestay custa, em média, C$750 por mês com duas refeições inclusas (se contratada através de uma agência de intercâmbio no Brasil).

Decepção

Acredito que não tive muita sorte com a família que me acolheu. O primeiro impacto negativo foi assim que cheguei. Como falei em meu primeiro post, Publicitário ganha carona de boas-vindas, ganhei uma carona logo no aeroporto, então acabei chegando bem mais cedo do que imaginei, por volta das 7h da manhã, quando havia combinado com minha hostmother (mãe de acolhimento ou dona da casa) que chegaria por volta das 10h. Por isso acabei não tendo uma recepção muito calorosa, principalmente do hostfather que não fez questão de disfarçar sua irritação por ter sido acordado cedo, em pleno sábado. Mas até aí tudo bem, falha minha. Segui em frente como se nada tivesse acontecido.

Meu quarto era bem pequeno. Tinha uma cama, um armário desmontável, um criado mudo, uma escrivaninha e uma mesinha dobrável com um banquinho. A luz era individual, eu acendia diretamente na lâmpada, não precisava de interruptor. Não era nem um pouco confortável para estudar ou usar notebook, e tinha que fazer isso fora do quarto.

A casa era bem comercial, como um mini-hotel mesmo, com quatro quartos para alugar: um na parte de cima, segundo andar, um no andar principal, com a porta no corredor entre a grande sala de três ambientes e a cozinha, e mais dois quartos no basement, onde, logo após a escada, tinha a área de serviço, com máquina de lavar roupas, tanque e secadora e, depois da porta, um depósito de brinquedos dos dois filhos do casal filipino, os donos da casa. Havia ainda uma cozinha desativada e uma pequena sala com sofá, televisão, rádio e DVD para os hóspedes que não podiam ficar na mesma sala da família no andar principal.

A alimentação, como comentei no meu último post, O que Toronto tem de diferente, não foi como imaginei, principalmente o café da manhã no estilo self-service. Meu jantar era deixado no prato, e variava entre frango e carne de porco, um dia frito, outro no estilo sopa, ensopado ou sei lá o quê. Não tinha opção de repetir. Não tinha variedade, nada de legumes e verduras, apenas os dois pedaços de carne e pronto. Os pratos dos hóspedes eram deixados na mesa da cozinha e podíamos nos servir do arroz que ficava na máquina de arroz. Já o jantar da família era uma comida diferente, eles comiam na sala principal e não havia envolvimento algum conosco.

E esse foi o ponto principal de eu não ter gostado do homestay: a falta de envolvimento da família. O motivo de ter escolhido ficar em uma homestay foi justamente para me sentir introduzido à cidade, à cultura e poder praticar a conversação com uma família canadense, mas nada disso aconteceu. As poucas vezes que a hostmother conversava comigo era quando eu voltava da escola à tarde, mas era uma conversa rápida, do estilo: “Está frio hoje, né?”. E a única coisa que ela me mostrou foi onde era o metrô, a 10 minutos a pé da casa.

Tive interação e envolvimento com os outros hóspedes, um da Arábia Saudita, dois da Coréia (que quase não via), e, quando um coreano saiu da casa, chegou um japonês que estudava na mesma escola que eu e pra quem fiz o papel de host, apresentando a cidade, mostrando o caminho até a escola etc.

Apesar das diferentes culturas, a relação era muito boa entre nós, sem muita diferença no dia a dia em relação à higiene, à forma de se alimentar, etc. Neste ponto ou tive sorte, ou sou mais desencanado ou receptivo mesmo.

O lado bom

E para não dizerem que só reclamo, o fato de a homestay ter esse caráter mais “comercial” teve também um lado bom: você fica mais à vontade para entrar, sair e se alimentar a hora que quiser, sem ter que dar muita satisfação.

Outra coisa de que gostei bastante foi da filha de dois anos do casal. Toda vez que eu chegava à tarde, ela vinha brincar comigo. Consegui matar um pouco da saudade dos meus irmãos mais novos que estão no Brasil.

Se você por acaso teve uma boa experiência em uma homestay, gostaria de saber, se puder deixar um comentário aqui seria muito importante para mostrar os dois lados e não assustar as pessoas que pensam em ficar em homestay em Toronto.

Élida Rocha também falou para o OiCanadá da sua experiência em uma homestay no post Uma caixinha de surpresas chamada host family.

Rodrigo Schmiegelow, um jovem que veio da cidade de São Paulo para se aventurar e descobrir Toronto. Publicitário formado em 2009, no curriculo possui experiência como designer gráfico, criativo em agencia de comunicação, e, nos ultimos três anos, tem trabalhado na área de Marketing. Nas horas vagas investe seu tempo em uma empresa de e-business que começou com uma sócia de criação e desenvolvimento web.

38 Comentários

38 Comments

  1. Cristina

    03/abr/2016 at 18:17

    Gente minhas filhas estão em Vancouver há menos de 1 mês hospedadas em uma homestay de irmãs filipinas. A experiencia com a Homestay está sendo péssima. Alimentação muito ruim, não é servido legumes, saladas ou frutas muito menos sobremesa. A alimentação que é servida as minhas filhas é diferente das donas da casa que sempre comem depois delas. Não tem interação nenhuma, nem diálogo, motivo pelo qual escolhemos homestay, aumentar o contato com a lingua… Elas se comunicam na lingua filipina entre elas. Nos finais de semana elas se programaram para fazer excursões mas quando chegam em casa são recebidas com agressividade, reclamações com relação ao horario (11pm), e reclamam de tudo. Para lavar as roupas tem que pedir e ainda cobram a parte para isso, não podem tocar nem nada na casa, tv, geladeira, microondas. Então esquentar a comida quando chegam tarde não funciona porque ela fica esperando no sofá sem dormir e fica muito brava. Café da manhã é bolinho de ameixa e ja avisaram que não precisa deixar esse sabor pq elas não gostam e se possivel trocar o sabor mas não funcionou. Ela fica brava porque elas não comem o que ela deixa na mesa. Enfim, experiencia traumática, esta homestay está estragando com o intercambio delas. Desde o inicio prensei que seria melhor residencia estudantil. Acho que não estava enganada…

    • Wagner

      28/abr/2016 at 14:21

      Ficar em casa de Filipinos é complicado. Quando fui para o Canadá, Toronto, fiquei uma casa onde a mãe era Filipina e o pai Jamaicano. Janta boa era quando eles traziam algo de algum restaurante para comer. Fora isso era ruim, as vezes faziam umas sopas que pareciam agua fervida com alguns legumes boiando e uns pedaços de frango afogados. Eles também não interagiam muito e um dia acabaram ate discutindo e pelo que deu para entender, o pai da casa não gostava de ser homestay, pelo que deu para entender, faziam isso pelo dinheiro. Enfim, classificaria minha experiencia como sendo nota 6. Teve coisas boas claro, mas pelo relatos de outros amigos que estavam em outras casas, via que a deles eram bem melhores que a minha (casas de canadenses nativos).

  2. Anderson

    05/dez/2013 at 08:14

    Olá Fátima,
    pretendo ir para o Canadá em janeiro ou fevereiro de 2014, e estou dúvida entre homestay e outros planos. Pretendo ficar de 6 meses a 2 anos, caso consiga qualquer emprego. Sou dançarino de boate, tenho 21 anos, será que conseguiria emprego facilmente? Meu inglês é intermediário, mas vou para fazer curso e trabalhar. Gostei de saber que a experiência em homestay pode ser excelente, principalmente se for a sua. Gostaria do seu contato para saber se posso ficar na sua casa, seria eu e um amigo.

  3. jessica

    15/ago/2012 at 15:35

    Se ter nao, mais ficar em uma :S
    (meu português já esta assim, imagina o inglês shuahushauhushauhushuhush

  4. jessica

    15/ago/2012 at 15:34

    tem idade para se ter uma homestay?

    PS: sinto muito por sua experiencia ruim ;/

  5. Fábio

    19/abr/2012 at 23:13

    Olá amigos,

    Vou viajar para o Canadá em maio e ficarei por 4 semanas em Toronto e mais 4 em Vancouver, todo o tempo em homestay. Confesso que estou um pouco apreensivo depois de ler todos os comentários acima. É realmente uma loteria! De todo modo, tenho esperanças de cair numa boa família e, se não cair, é rua o “dinterim”!!! Afinal, já era minha intenção passear pra caramba e ficar o mínimo tempo possível dentro de casa (pra ficar enfurnado num quarto, prefiro ficar no meu aqui no Brasil).
    Por que uma homestay?
    Minha escolha foi essa porque na experiência anterior optei por ficar em hotel e achei que isso foi muito prejudicial para o meu desenvolvimento no idioma. Acho que a intereção com as pessoas do lugar é fundamental para que você consiga melhorar o seu desempenho no inglês. Se a homestay não der certo, minha próxima tentativa será hospedagem com os colegas na escola mesmo. Não é lá minha opção favorita, mas talvez seja a que mais valha a pena.
    O que me anima nessa história toda é que se eu não der sorte com a família de Toronto, ainda terei uma segunda chance em Vancouver. E se a família não for legal, vou viver uma vida de turista, hehehe… Não tem como dar errado! Acho que só o lance da comida é que não dá pra escapar, mas se tivesse vindo aqui antes, não teria contratado. Infelizmente, agora já está tudo pago e seja o que Deus quiser.
    Parabéns pelo blog! Me ajudou bastante e ainda irá ajudar muita gente!

  6. Bruna

    09/jan/2012 at 17:01

    Eu tive uma experiência incrível com a minha homestay. Era uma família composta pela mãe com uns 40 anos e 2 filhos, uma menina de 5 anos e um menino de 8. Todos eram muito legais comigo, conversava bastante com eles, brincava com as crianças e tal. Ela me dava total liberdade na casa e me tratava como filha mesmo. Ela não tinha obrigação mas chegou a lavar minhas roupas sem eu pedir e a trocar meus lençóis, sendo que ela só deveria entregá-los a mim para que eu mesma trocava. Uma vez chegou até a arrumar meu quarto inteirinho! rs… Na verdade, todo mundo fica com medo de chegar e pegar uma família que não se adeque, mas existe a possibilidade da troca, então, é só ficar tranquilo. Ah, como já falaram em outros comentários, raramente você ficará em uma família canadense legítima. A minha família era do Sri-Lanka. Não conheci ninguém que estivesse na casa de um canadense. Mas para que os imigrantes possam receber intercambistas tem de ter mais de 10 anos de residência no pais. Espero ter contribuído um pouco com a minha experiência.

  7. Joel Alves

    22/nov/2011 at 10:44

    Infelizmente nem tudo são flores. Vou pedir a Deus pra conseguir uma homestay legal quando eu for.

  8. Vitor

    08/jun/2011 at 06:26

    poxa eu qnd fiquei na homestay foi muito bom! eu fiquei em uma familia que era a mãe e seus dois filhos, eu me envolvi bastante na familia fui pra igreja com eles sai pra otimas atividades! conheci um pouco da comunidade deles pois a minhã “mãe” era colombiana! muito bom mesmo! na minha casa tinham outros estudantes, eu dividi quarto com um polones foi muito legal a experiencia a receptividade. eu considero que eu tive muita sorte! minha casa ficava no bairro “valley woods road” um lindo bairro por sinal! e eu tambem tinha toda a liberdade na casa de todos os estudantes ,como sou o mais cara de “pau”, eu era aquele que mais parecia da familia! faziamos programas juntos, jogavamos banco imobiliario e etc! a experiencia vale a pena! Mais como falei é uma questão de sorte!

  9. Glair

    01/jun/2011 at 01:07

    que lega ler sobre homestay de maneiras diferentes e diretamente de quem pecisa delas.
    estamos comprando uma casa e pensando já em ter o basement para homestay e lendo os comentários, me deram dicas preciosas do que ter e o que não ter, pra poder dar o melhor conforto ao estudante que aqui vem estudar.

  10. Kantynho

    31/maio/2011 at 07:27

    Minha irmã ficou em homestay em Calgary ano passado e ela adorou! O casal era canadense mesmo, e elas ficaram até amigas, trocam e-mails até hoje. E conversava muito, o que foi muito bom para minha irmã, que precisava praticar o inglês…

  11. Mariana Cimini

    23/maio/2011 at 13:19

    Oi Rodrigo, quando vi a foto do seu post identifiquei a mesma homestay que eu fiquei por um mes. Senti a mesma coisa que voce. Quando cheguei, bem cedo também, nao tive uma boa recepção, mas nos outros dias o casal foi bem simpático comigo, assim como o estudante árabe, que ainda mora lá e hoje é um grande amigo. Quanto a comida, tive problemas também, sempre pedia pra ter mais verduras e legumes, mas só comia isso na sopa, e no almoço eu pedi pra comer sanduíche, porque nao aguentava comer arroz e carne todo dia.
    A filha do casal realmente é uma gracinha, eu também brincava com ela sempre, e o quarto que eu fiquei foi o mesmo que o seu, muito pequeno, e com a iluminaçao ruim. Fiquei só um mes e me mudei, mas ainda não encontrei a casa perfeita, e estou procurando novamente, se voce souber de algum lugar bacana disponivel me fale ok?

  12. miguel from mexico

    03/maio/2011 at 17:28

    la mayoria de los homestay son asi, es mejor rentar una casa con amigos de escuela que tengan las mismos propositos que tu ya que con 750 dolares rentas un cuarto hasta te sobra para la comida que tu queiras

  13. diego monsao

    21/abr/2011 at 10:02

    BEm,

    Minha experiência em minha homestay foi boa. Na verdade, fique hospedado na casa de uma senhora que veio da Irlanda junto com o irmão que hoje mora em Montreal. Essa senhora era divorciada e morava na região do highpark bem próximo do metro.

    Na casa haviam 5 quartos para hospedar estudantes extrangeiros, no período que estive lá que foi em janeiro de 2010, tinham 3 estudantes além de mim, cada um de país difirente.

    Fui bem recepcinado pela dona da casa, iamos ao mercado de vez em quando, ela me indicava lugares para visitação as vezes, assistiamos o jornal local quando estava em casa, o famoso Toronto´s break news.

    Se tivesse a opurtunidade, voltaria novamente a Toronto.

  14. felipe.o

    12/abr/2011 at 18:35

    fiquei soh um mes na homestay, entao deu pra aguentar…. mas se fosse ficar mais que isso fazendo intercambio, certeza que ia dar um jeito de sair de la….

    o casal (filipina – claro – e canadense) era bacana, a comida nao era tao ruim (tirando o arroz sem gosto algum) e eles conversavam bastante comigo….

    mas eu morava a 1:20h da escola, tinha que acordar muito cedo todo dia, e era ruim voltar pra la muito tarde caso decidisse fazer algo em downtown a noite….

    outro problema foi o fato de, na semana do embarque recebi um voucher com informacoes da homestay, e la dizia que eles tinham internet…. quando cheguei, perguntei sobre e eles me disseram ue nao tinham…. tivemos (eu e os outros 2 intercambistas) que dividir a mensalidade…. e no meu ultimo dia, antes de ir embora, tive que pagar os $20 da internet, mais $10 de “downloads” (sim, fui idiota de pagar) e outros $20 de laundry, sendo que nunca ninguem me falou que era cobrado parte…. nao quis arrumar confusao entao paguei, mas foi muita sacanagem….

    enfim, minha dica eh: ate vale a pena ficar numa homestay, mas nao mais que 2 semanas…. depois disso, va para uma residencia e seja feliz!! rsrs

  15. Rodrigo Schmiegelow

    12/abr/2011 at 18:27

    Agradeço aos comentários feitos até agora. Muito interessante ler a experiência de cada um e perceber que homestay realmente é uma caixinha de surpresas, as vezes ótimos, as vezes nem tanto.

    Continuem comentando!

  16. Rafael

    12/abr/2011 at 12:23

    Pessoal
    Maio 2010 fui a Toronto e me dei muito bem com a familia que me acolheu.
    Ótimo quarto, boas refeições, falavam bastante comigo e me envolviam nas atividades da familia. Era um casal, filipina e ele da replucica checka (sei la se e assim q escreve rss).
    Recomendo!
    Ah, uma dica, antes de fechar, pessam no detalhe como querem a homestay (quarto, localização, tipo de familia, etc).
    Rodrigo,
    O que aconteceu com vc não é exclusividade sua. No meu caso, foi sorte, muitos amigos meus reclamavam das suas respectivas casas.
    Abraço e Boa Sorte a todos

  17. Marcelo

    11/abr/2011 at 20:04

    PURA SORTE ou AZAR! é assim que eu descrevo uma experiência com homestay!
    Pra quem ainda não foi acho que uma boa dica é se preparar para o pior, esperar o melhor e receber o que vier!
    E pelo que sei na maioria das vezes é possível trocar de casa!

    TIVE SORTE!
    Passei 2 meses em Toronto e a homestay ficava cerca de 7 minutos do metro Don Mills, era uma casa bem grande com 6 quartos, e justamente por isso, uma chance muito grande de fazer novos amigos e praticar ingles!
    Na homestay tinha gente da Russia, Uzbequistão, Chile, Japão e Mexico.

    Os donos eram um casal de Singapura na faixa dos seus 50 anos. Não falavam muito bem o ingles…o marido dela principalmente!(que lingua era aquela ???)
    Fiquei um pouco decepcionado por causa disso!
    Mas o russo me avisou logo de primeira: “NÃO PENSE EM TROCAR DE HOMESTAY. Já fiz isso 3 vezes e essa é a melhor de todas!”
    Azar o dele, Sorte a minha!
    Eu achei a comida um pouco estranha, mas eu tava lá pra provar e experimentar tudo que o Toronto e sua diversidade tinha pra oferecer. Eles adoravam frutos do mar…tinha quase todo dia, mas não é meu tipo de comida favorito! Mas sempre tinha uma segunda opção.
    Tinha tanta liberdade que várias vezes eu mesmo fiz minha comida.

    Enfim…se eu tivesse que escolher uma homestay pensaria na interação com outros estudantes, porque se sua expectativa for contato com os donos da casa, talvez você se desaponte…pq as pessoas tem suas vidas, trabalham, chegam cansadas, querem paz…rs. Entenda o lado deles também!

    Tente pegar uma homestay por recomendação! deve ser mais dificil errar…

  18. Rodrigo

    10/abr/2011 at 13:42

    Pessoal, a questão de homestay pode ser bem complicada, mas se vc tiver disposição, resolve fácil. Também tive uma primeira péssima experiência, vivi 2 meses em uma família filipina. Aí está o principal x da questão, nós somos do Brasil, se acostumar com os costumes, comidas e way of life dos asiáticos não é tarefa fácil. Meu primeiro conselho, procure uma homestay que seja de uma família canadense, se não for possível, procure algum background de américa do sul ou europa. Porém uma coisa é certa, existe tudo que é tipo de homestay, ou seja, vc pode dar muita sorte ou muito azar. As razões pela qual eu escolhi homestay e não troco de jeito algum são simples. Num apartamento vc vai gastar mais dinheiro, vai ter que se preocupar com tudo, supermercado, lavar louça, lavar banheiro, cozinhar e etc. Numa homestay, geralmente, eles fazem tudo por vc. Ou seja, eu tenho que me preocupar em colocar minhas roupas no meu ármário e olhe lá. Bom, estou vivendo com uma família franco-canadense e posso dizer que não troco por nada. Tenho um ótimo quarto, a casa é muito bem localizada, apenas 15 minutos de downtown, a comida é super parecida com a que comemos no Brasil, tenho liberdade para fazer o que eu quiser, além de contar com uma família que está sempre disposta a conversar e sabem muito sobre tudo, ou seja, são cultos. A minha experiência anterior realmente não foi boa, aguentar os costumes dos filipinos não é fácil, além do que a comida era muito diferente mesmo. Pessoal, se vc procura comodidade, tempo livre para o seu dia, fique em uma homestay, vc pode encontrar muita coisa boa sim. Agora se vc não se preocupa em ter todos os afazeres por sua conta, alugue um apê (de preferência com mais alguém, pq não são baratos) e seja feliz!!
    Abs!!
    Rodrigo C.

    • Hércules

      13/dez/2012 at 10:53

      Olá Rodrigo,

      Estou indo para o Canadá em março de 2013. Lá na agência me informaram que aceitam indicações de homestays. Você lembra o nome e endereço de onde você ficou?

      Obrigado pela ajuda

  19. Anônimo

    10/abr/2011 at 10:10

    Oi, Rodrigo.

    Muito útil seu post. Também estarei indo estudar inglês em Toronto por 1 mês em Toronto, em Maio. Ja recebi o perfil da minha hostfamily, são uma familia que moram em Highcroft Road. Não sei se são canadenses ou de outra nacionalidade. Fiz o primeiro contato, mas também ainda não recebi nenhuma sinal de vidas, mas acho q é assim mesmo…

  20. priscila

    09/abr/2011 at 19:32

    Olá Rodrigo!!!

    Estive em Toronto em 2009 e fiquei quatro meses na casa de uma mexicana – canadense. A experiência foi maravilhosa.
    Cheguei um pouco cedo em Toronto, as 05:00 da manha e a primeira impressão da homestay foi horrível. Meu primeiro mês eu entrei quase em desespero, mas consegui ganhar confiança da minha hostmother. Meu pacote incluia cafe da manha e jantar…nos tres ultimos meses, minha relação estava tão legal que eu até almoçava tambem. Falo com minha hostmother até hoje e ela sempre me pedi para voltar.
    Que pena sua experiência tenha sido ruim…como você, um amigo meu também sofreu e trocou de família três vezes.

    boa sorte no restante de sua jornada!!!
    Priscila

  21. Leonardo Ferreira

    08/abr/2011 at 22:31

    Rodrigo, também gostei do seu post. Fiquei em Toronto ano passado ( 1 mês) e tive uma experiência positiva. Era uma romena que morava no Canada já por uns 30 anos. Era receptiva e muito gentil. Tenho muitas saudades dela e das nossas conversas. Conversávamos por horas qdo chegava da escola. Seu apto é de frente para o Lago Ontario. Uma vista de 1 milhão de dólares. Mas tive colegas que entraram na mesma latada que vc entrou. Espero que o seu inglês mais fluente tenha valido a estadia nesse porão. Valeu
    Leonardo

  22. Erickson

    08/abr/2011 at 18:56

    ola gostei do seu post. sou cabo-verdiano estou com ideia de ir pra toronto no proximo ano assim q terminar o 12 ano de escolaridade pra fazer curso de piloto comercial gostava que deses mais dicas da cidade assim sendo vou pensar em dividir um apartamento ou uma homestay. Abracos

  23. Patrícia

    08/abr/2011 at 18:49

    Bom, antes mesmo de ir para Toronto, já estou tendo uma experiência negativa com o homestay reservado para mim e meu marido pela agência de intercâmbio. Estaremos indo em Maio e há 15 dias recebemos o e-mail da família para poder nos comunicar, isto é, primeiro contato. Qual nossa surpresa, eles simplesmente não respondem a nenhum e-mail enviado( já enviamos 3). Hoje tomei a atitude de entrar em contato com a agência e pedir para se comunicarem com eles, pois estou bastante intraquila e achando que vou entrar numa furada tb. Só, que já pedi para trocar! Vamos ver o quê acontece…

    • Mariana

      20/out/2011 at 17:16

      oi Patricia, tbm vou fazer intercambio com meu marido…gostaria de trocar informções com vc…se puder por favor me envie e-mail para nos comunicarmos. Abs

  24. Patricia

    08/abr/2011 at 12:21

    Olá!!
    É, nem todo mundo encontra uma homestay nota 10! Ah, e fora q encontrar familias canadenses q recebam estudantes estrangeiros é mto raro, geralmente são imigrantes q já moram ha anos no Canadá e p/ complementar a renda acabam alugando quartos na casa.
    Fiquei 6 meses aí em Toronto, há 3 anos atras. A minha host foi ótima! Ela morava só em um apartamento(2 quartos) na Don Mills Road, nao conversavamos mto, pois nossos horarios nunca batiam. Meu quarto não tinha janela, mas tinha cama de casal, escrivaninha, tv e dvd e armario livre p/ minhas roupas (apt. geralmente tem sistema de ar frio e ar quente entao o fato de nao ter janela nao me incomodava). Sempre fui livre p/ comer o q quisesse na geladeira, ela ainda comprava o q eu gostava, paguei por 2 refeiçoes e eu sempre fazia a listinha do q gostava e ela comprava… agora o q era besteira tipo sorvete aí eu comprava, no frills é vida! haha A casa ela arrumava, lavava banheiro, cozinha e tal. Horários tbm era livre, afinal fui aos 25 anos… aos sábados eu lavava as minhas roupas e td com os produtos dela, como usava pouco e ela era só nao fazia questao. Enfim, não tenho do q reclamar realmente dei mta sorte.
    Espero q vc encontre outro lugar mais bacana, se é o q está procurando. Sorte sempre!

  25. Simone

    08/abr/2011 at 09:37

    Oi Rodrigo, poxa, agradeço o seu relato e sinto por você. Confesso que me assustou um pouco, já que também optei por homestay. Peguei ontem o endereço da família e ainda não passei um email para eles.
    Enfim, torço por sorte nos próximos meses!!! E quando eu tiver a minha experiência eu compartilho.
    Abraços.
    Simone

  26. Juliana

    08/abr/2011 at 09:04

    Rodrigo, eu também não tive sorte com a minha homestay.
    Também morava no basement e o contato com a família era mínimo. A hostmother deixava o meu prato para o jantar no basememt e eu jantava sempre sozinha. Eles são Filipinos também.
    Fiquei apenas 3 meses em Toronto, mas se ficasse mais com certeza eu iria pedir para trocar de família!!

  27. Bruna

    08/abr/2011 at 08:12

    Homestay sempre é um assunto que assusta. A minha, principalmente, assustou demais, definida somente um dia antes de eu embarcar pro Canadá. Mas minha experiência foi excelente, troco e-mails, presentes e conversas quase que diárias com minha hostmother, que me convida sempre para voltar.
    Que pena que vc teve essa experiência.
    Bjs

  28. Raphael Moreira

    08/abr/2011 at 08:02

    Eu tive uma experiência fantástica com minha Hostmother.. Eu Morava na Don Mills Subway Station, na casa de uma grega canadense. Quando cheguei ao meu quarto, havia uma bandeira da Grécia pendurada na parede. Me senti no filme do casamento grego… Ela era hilária, me contava de vários estudantes que já haviam passado pela casa. Era uma casa grande, de três andares e logo no primeiro dia ela me deu as direções de como chegar na escola, onde comprar um cartão telefônico e um bom casaco de frio, já que eu havia deixado o Brasil em pleno Verão e chegado no inverno glacial. Óbvio que nem tudo é lindo: Como só podia lavar minhas roupas uma vez por semana, não tinha como separar roupas claras de escuras e tive algumas peças manchadas hehehe… Mesmo assim, a experiência foi fantástica. Sinto muito, Rodrigo, que sua experiência tenha sido ruim. Para aqueles que tenham dúvidas sobre ficar ou não, eu daria uma chance a esta experiência…

  29. Marcelo Silva

    08/abr/2011 at 01:05

    Olá, Rodrigo, tudo certo?
    Legal ler o seu relato. Me fez pensar ainda mais se sou apenas eu quem acha homestay uma furada. Não entendo até agora pq tante gente escolhe homestay, nada contra. Mas é que não entendo a vantagem entre homestay e morar sozinho ou com roomates no campus da escola, por exemplo.
    Na homestay, a chance de pegar um casal de hostparents como o seu, meio frio, são grandes, certo? Por isso que sempre descartei homestay. Queria saber de você quais motivos levaram você a escolher essa modalidade que, sempre que leio sobre, vejo que é caro.
    Enfim, ainda não tenho bagagem para falar sobre essa diferença, pois quando morei na Austrália fiquei com um primo e amigos, e nunca cogitei ficar em homestay. Sei lá, vai ver sou eu mesmo, louco para ir morar fora sozinho. Deve ser isso…

    Abraço,
    Marcelo Silva
    Itajaí-SC

    • Rodrigo Schmiegelow

      09/abr/2011 at 14:51

      Olá Marcelo, tudo bem, e com você?

      Escolhi Homestay pela comodidade e segurança no primeiro mês, a idéia era já chegar aqui com um lugar para ficar enquanto me adaptava a cidade, e esperando uma familia para praticar Inglês.

      Obrigado pelos relatos, Raphael, Bruna, Juliana, Patrícia, Leonardo.

      Boa Sorte em suas Homestay Simone e Patrícia, depois nos falem como foi.

      Boa Sorte para você também Erickson, no próximo post falarei sobre Room, ou Apartamento compartilhado.

      Abraços.

      • Fatima Sa

        07/jul/2012 at 11:03

        Oi Rodrigo,

        Realmente voce tem razao em muito coisa que voce nao gostou. Ha muita falta de carinho e de atencao para com os estudantes de outros paises, e a maior parte do homestay nao faz isso de coracao mas sim como um negocio, onde quanto menos gastar melhor, e nao se preocupam em nada com seus sentimentos ou suas necessidades. Ja basta o estudante ter saido de seu pais ; sua casa esua familia para que se sinta perdido em outro mundo totalmente diferente onde nao se fala a mesma lingua. O host family tem por obrigacao de fazer com que o estudante sinta essa diferenca o menos possivel, e isso que eu faco em relacao aos estudantes que ficam em minha casa.

        Vamos ver uma coisa importante aqui. Nao se deve julgar todos por igual, pois eu faco homestay ha mais de doze anos e qualquer estudante que fica em minha casa passa mais do que um mes aqui, muitos ficam seis meses, mas a maior parte entre dois a tres meses e regressam ao Brazil. Ou acontece que alguns se juntam e partilham um espaco mais em conta, mas tambem as condicoes nao sao as mesmas, e preciso que se note. Tambem devo dizer que o estudante em minha casa tem um atendimento que nao sera facil encontar em outro lugar. pois todo o estudante toma o cafe da manha e janta connosco. Sentamos todos juntos a mesma mesa, para podermos conversar sobre o dia de cada um e poder ajudar em todas as questoes que seja assunto. Nossa comida e tradicional portuguesa assim como tambem faco pratos ao jeito brasileiro e diversos outros… Todos os pratos sao diferentes todos os dias, faco peixe, carne, churrasco, outras variedades, sirvo sopa ou salada, todos os pratos tem vegetais, ou entao se algum estudante tem restricoes faco outro prato de acordo com a sua dieta, sirvo sobremesa como doce ou fruta, cafe ou cha etc. O cafe da manha podera ser ovos mexidos , tosta, torrada, fruta, cereiais, misto, waffles, pancakes etc. Como ve a variedade e imensa, nao ha como nao gostar, assim dito pelos nossos estudantes…
        Sera dificil explicar tudo em pormenor, porque ha muito para se dizer sobre homestay, mas uma coisa e certa homestay e a melhor escolha para um estudante , sai muito mais em conta se conseguir encontrar o lugar certo. Pois comer fora em Toronto e caro. Tudo tem um preco e as vezes o barato nao e a melhor opcao.
        Nossos precos estao dentro da media de outros homestay. Meu servico nao fica caro em relacao ao que o estudante tem em minha casa, todo o estudante e tratado com respeito e dignidade, e alem disso o que eu faco e com amor, porque adoramos ter pessoas connosco e poder partilhar um pouco das nossas experiencias assim como fazer amigos para vida.
        Pena que so tenha quatro quartos para estudantes pois tenho sempre muito estudante a me contatar, peco desculpa por nao poder acomodar todos…, pois muitos estudantes acabam por ficar mais de dois meses connosco, o que e bom para eles, pois seu ingles melhora muito se ficarem mais tempo por ca.
        Devo referir, que o estudante tem acesso a piscina, quadra de tennis, temos bicicletas para poderem passear junto ao rio Humber River, ou outro local, poderao usar o jardim para relaxar e tomar sol, ou mesmo estudar no jardim.
        Em breve poremos mais fotos e mais testemmunhos de outros estudantes.
        Obrigado pela vossa atencao. Quero pessoalmente deixar um muito obrigado a “OI Toronto” por todos nos podermos partilhar nossas experiencias, e fazer desta pagina um ponto de referencia para quem vem estudar ingles para Toronto, ou outro assunto relacionado.
        Um muito obrigado a todos, um feliz dia para voces.

        Fatima de Sa

        • ailton

          13/out/2013 at 16:24

          Olá Fátima,
          Pretendo ir para o Canadá em agosto/2014, e gostaria de saber se qual o valor para 1 mês de hospedagem em sua residência.
          Quais exigências você faz, enfim preciso de detalhes do local em que ficarei hospedado quando for para o Canadá.
          Aguardo seu retorno.

          Ailton

        • Bianca

          22/nov/2013 at 14:40

          Prezada Fatima,

          Farei um intercambio de quinze dias em Toronto no inicio de Maio na ILSC. Tenho 30 anos e confesso que nao estou disposta a me aventurar e/ ou me arriscar com uma homestay qualquer. Irei atraves da STB.
          Gostaria de saber se vc teria disponibilidade neste período. Em caso de negativa, vc teria alguem para me indicar?

          Muito obg.

          Abs., Bianca.

        • Alexander Galter

          25/jan/2015 at 20:17

          Olá Fatima! Ficarei em Toronto por 5 semanas para estudar inglês, no período de 18/07/2015 a 22/08/2015, Gostaria de saber se você tem disponibilidade de acomodação nesse período? Você tem algum email ou algum outro contato para podermos conversar?
          Muito obrigado.

          Alexander

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em: Moradia

Receba as novidades do blog por email

Digite seus dados abaixo para assinar nosso boletim e receber todas as novidades do blog em sua caixa postal. É de graça e você pode se descadastrar a qualquer momento.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
Topo